RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, sábado, 19 de junho de 2021.



Saúde

Gestantes e puérperas passam a ser vacinadas no Centro Integrado Materno Infantil em Porto Velho


Compartilhe:

Publicado por

em

Alteração foi providenciada para facilitar acesso e garantir mais segurança ao grupo
Mudança amplia a segurança das mulheres atendidas Mudança amplia a segurança das mulheres atendidasA Prefeitura Municipal mudou o local de vacinação contra a Covid-19 para as gestantes e puérperas. A partir de agora elas são atendidas no Centro Integrado Materno Infantil (CIMI), no anexo da Maternidade Municipal Mãe Esperança, na rua Venezuela, bairro Embratel. A alteração está valendo desde quarta-feira (9).


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

 

A mudança foi providenciada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) para ampliar a segurança das mulheres que se enquadram no perfil atendido nesta fase. Outro fator levado em conta é a facilidade de acesso ao local onde acontece o atendimento.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

 

“Pensamos no acesso mais fácil, pois elas já buscam outros atendimentos na maternidade. As puérperas, por exemplo, já saem com o bebê vacinado com a vacina BCG. Além disto, todas já saem orientadas da maternidade para que façam o cadastro no aplicativo SASI para que sejam vacinadas contra a Covid-19”, explicou Elizeth Gomes, gerente de Imunização da Semusa.

 

Pesou ainda, para a mudança, a necessidade de retirar gestantes e puérperas do mesmo ambiente onde concentram-se no processo de vacinação outros grupos mais jovens.

 

Elizeth Gomes, gerente de Imunização da SemusaElizeth Gomes, gerente de Imunização da SemusaA Semusa reforça que apenas o endereço do ponto de vacinação foi alterado. O sistema de atendimento continua o mesmo: é preciso baixar o aplicativo SASI e fazer o cadastro para que o agendamento aconteça. Só assim receberão a vacina da Pfizer.

 

Inicialmente, o atendimento no Centro Integrado Materno Infantil vai funcionar somente de segunda a sexta-feira, de 9h às 16h.

 

Dados da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) mostram o agravamento dos casos de infecção de grávidas de mais de 600% de 2020 a 2021, sendo que neste ano já foram registrados 26 óbitos maternos.

 

A vacinação pode ocorrer a qualquer momento da gestação. Puérperas e lactantes podem tomar a vacina com segurança. Elas também são orientadas a não interromper o aleitamento materno.

 

Texto: Renata Beccária
Fotos: Wesley Pontes

 

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)