RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, quarta, 14 de abril de 2021.



G1

MP recomenda que órgãos de segurança façam estudo antes de reintegração de posse em fazenda de Chupinguaia, RO


Compartilhe:

Publicado por

em


Fazenda Nossa Senhora Aparecida foi alvo de invasão e se tornou área de litígio agrário. Promotores argumentam que medidas devem ser tomadas para evitar a repetição do conhecido “Massacre de Corumbiara”. Governo ainda não se pronunciou. Fazenda onde deve ocorrer a reintegração de posse em Chupinguaia
Facebook/Reprodução
O Ministério Público Estadual (MP-RO) recomendou às forças de segurança de Rondônia que realizem um estudo minucioso antes da reintegração na fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Chupinguaia (RO), região sul do estado. A área foi alvo de uma invasão no ano passado, e após pedido dos proprietários na Justiça, um mandado de reintegração foi expedido, no dia 29 de março.
A recomendação foi enviada ao Secretário de Segurança Pública, Helio Pachá, e ao comandante da Polícia Militar (PM), Alexandre Luís Almeida.
Conforme o MP, na decisão pela reintegração, o juízo da 2ª Unidade de Conflitos Agrários de Porto Velho condicionou o cumprimento da medida à tomada de providências preparatórias, com a intimação das instituições envolvidas para a apresentação do “Plano de Reintegração de Posse e Remoção do Réus”.
No ofício aos órgãos de segurança, o MP demonstrou preocupação com as possíveis consequência da reintegração no contexto de pandemia, sem os estudos e planejamento da ação. Os promotores argumentam também que as medidas devem ser tomadas para evitar a repetição de um episódio conhecido como o “Massacre de Corumbiara”.
Na sexta-feira (2), a Defensoria Pública do Estado (DPE), entrou com embargos de declaração sobre a decisão do juiz pela reintegração da fazenda Nossa Senhora Aparecida. O objetivo da Defensoria, é o mandado expedido seja de acordo com o prazo de 29 de junho de 2021, dado pela Justiça para a saída voluntária dos invasores da propriedade.
O Governo do Estado ainda não se pronunciou sobre o caso.
VÍDEOS: As últimas notícias de Rondônia

Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Fonte: G1 Rondônia