educamais
Conectado por

Plural Saúde

G1

Governo de RO realiza ‘Dia D’ de projeto que combate evasão escolar; 21% dos alunos não participam das aulas remotas


Publicado por

em


Mobilização acontece nesta sexta-feira (16). Iniciativa tenta alcançar estudantes da rede estadual afastados do ambiente escolar. Pandemia da Covid-19 acentuou o problema da evasão escolar.
Edson Fogaça/Unesco
A pandemia da Covid-19 acentuou o problema da evasão escolar de estudantes que não possuem acesso ao ensino remoto. Isso porque, de acordo com a Secretaria Estadual de Educação de Rondônia (Seduc), dos 190.846 alunos matriculados no Ensino Regular e Ensino de Jovens e Adultos, 21,10% ainda não realizaram atividades educacionais (sem aulas remotas), após a paralisação das aulas presenciais em março.
Na tentativa de alcançar esses estudantes da rede estadual afastados do ambiente escolar, a Seduc, por meio das Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), iniciou o projeto “Vim Te Buscar Para Avançar”, que conta com o apoio dos conselhos tutelares, Ministério Público, órgãos de proteção à criança e adolescente, além da Polícia Militar em colégios militares.
Nesta sexta-feira (16), acontece o “Dia D” do projeto em todo estado. Esse movimento é para intensificar as ações de busca aos estudantes, e também promover a entrega de materiais impressos aos alunos que não têm acesso ao ensino remoto.
“As escolas têm feito um trabalho incansável de busca, ofertando formas desse aluno recuperar o que perdeu com atividades impressas para quem não tem internet, plantões tira-dúvidas via WhatsApp, entre outras estratégias. Só precisamos que os alunos procurem suas escolas”, explicou a gerente pedagógica da CRE de Porto Velho, Adriana Oliveira da Silva.
O projeto começou no dia 29 de setembro e se estende até 20 de outubro. Ele promove uma busca ativa através do contato com esses estudantes e pais ou responsáveis pelos gestores escolares, técnicos da Seduc e de professores voluntários.
Essa busca ativa está sendo feita por chamamentos nas redes sociais das escolas e da CRE, divulgação nas rádios, visita às famílias dos alunos, pit stops, carreatas e reuniões com o conselho tutelar. Em Porto Velho, segundo Adriana, aproximadamente 5 mil alunos não acompanham o ensino remoto pela falta de acesso à internet, além do isolamento em localidades afastadas.
“Muitos alunos não foram localizados no início da pandemia para retomar as aulas. Telefones que não existiam mais, ou mesmo por falta de acesso à internet ou isolamento em sítios. Nossa coordenadoria é responsável por 66 mil alunos da rede estadual, onde estamos em busca de aproximadamente 5 mil alunos que não procuraram mais a escola. E queremos que estes alunos retomem o vínculo”, contou.
De acordo com a Seduc, cada município idealizou, dentro de suas necessidades, a forma como vai atuar neste dia. Seja por visitas domiciliares na área urbana, periferias, zona rural e em localidades ribeirinhas, ou por telefonema, panfletos, e-mails, chamadas nas rádios e canais de televisão locais, avisos em carros de som ou até recados em pontos comerciais em bairros de comunidades escolares.
A educação básica é obrigatória pela Constituição Federal para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos. Conforme a coordenadora regional de educação de Ji-Paraná, Rosângela Murum, os responsáveis por alunos que não retornarem às aulas online ou que não buscarem os materiais impressos na escola podem responder junto ao Ministério Público.
“O conselho tutelar já está trabalhando com parceria com a escola. Então, se o pai não retornar com a criança para as aulas e nem buscar as atividades impressas na escola, aí sim o conselho tutelar e a escola acionarão o Ministério Público”, relatou.
*Estagiária do G1 RO sob supervisão de Mayara Subtil
Veja as notícias do G1

Continua após a publicidade

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura