Conectado por


Jurídicas

Funcionários do Sicoob aprovam reajuste nos tíquetes e ACT 2018 enfim é fechado

Publicado por

em

Sicoob funcionários assembléia

Em assembleia geral realizada na tarde do último dia 14 de dezembro, na sede do Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO), em Porto Velho, os funcionários das cooperativas de crédito do sistema Sicoob Norte aprovaram, por unanimidade, a proposta patronal de 3% de reajuste nos salários e 21,2% no tíquete alimentação, colocando um fim ao impasse entre as partes desde o mês de junho, e que levou o Acordo Coletivo de Trabalho 2018 ao dissídio coletivo, ou seja, foi parar na Justiça do Trabalho.

Os trabalhadores reivindicavam, inicialmente, aumento de 5% nos salários e tíquete alimentação de R$ 1.000,00 ao mês. Mas os representantes patronais insistiam em oferecer apenas o reajuste salarial de 3% e reajuste de 6% nos tíquetes e, por eles, considerada final, sem chances de avanços.

Essa proposta dos patrões foi rejeitada pelos trabalhadores nas assembléias gerais do dia 12 de julho e do dia 9 de agosto.

Após o ajuizamento do dissídio coletivo, houve uma audiência com o Sindicato, os representantes do Sicoob Norte e o presidente do TRT 14, desembargador Shikou Sadahiro, e os representantes patronais insistiam no índice de apenas 6% nos tíquetes. Na mesma audiência o sistema propôs novas rodadas de negociações, e nesse período, foram quatro mesas de negociação com o SEEB-RO, a última na tarde do dia 12/12, quando Francisco B. de Souza (diretor executivo) e Altair Schramm de Souza (diretor administrativo) apresentaram a nova proposta de 21,2% de reajuste no ticket alimentação, aprovada pelos cooperativários na assembléia do último dia 14, sexta-feira.

Agora o tíquete passa de R$ 660 para – no mínimo – R$ 800 por mês. Os funcionários vão receber os salários e tíquete alimentação já com os novos índices, inclusive com o retroativo da data base (junho).

“Sempre destacamos a importância do Acordo Coletivo ser celebrado via mesa de negociação, mas com o impasse que se estabeleceu neste ano, acabou indo a dissídio coletivo, o que não seria bom pra ninguém. Mas agora, já em dezembro, finalmente conseguimos arrancar uma proposta mais justa, que foi aprovada pelos trabalhadores que estão cientes de que, mesmo com a crise econômica que assola o país, o ramo de cooperativas de crédito tem crescimento sucessivo nos últimos anos e o sistema Sicoob tem plenas condições de atender as reivindicações da categoria”, destaca Antônio Tavares, diretor de Cooperativas do Sindicato.