Conectado por

Rondônia, quarta, 01 de dezembro de 2021.



Geral

Fhemeron realiza coletas em três regiões de Rondônia para reforçar estoque de bolsas de sangue


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Colégio Sapiens

Situação não pode agravar-se no fim do ano quando demanda é maior, alerta Fhemeron


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

 

O Governo de Rondônia, por meio da Fundação de Hematologia e Hemoterapia (Fhemeron), orienta os  doadores voluntários para que voltem ao Banco de Sangue visando o reforço no estoque de bolsas de sangue. Nesta terça-feira (9) havia apenas 86 bolsas de sangue O+ e 53 de A+ para o atendimento à rede hospitalar em Porto Velho. São os dois tipos de sangue mais utilizados em transfusões.

Com exceção dos hospitais de Base e João Paulo II, que dispõem de bancos próprios, as demais Unidades Hospitalares são abastecidas pela Fhemeron.

Coleta na Escola Cassimiro de Abreu em Nova Mamoré

A Fundação é gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde, que já autorizou coletas no interior. No final de semana, por exemplo, a equipe viajou para Nova Mamoré (Oeste do Estado), a 241 quilômetros da Capital, onde obteve o apoio da prefeitura e de uma rádio local, coletando 80 bolsas.

“Vivemos uma queda bem drástica, precisamos recompor o estoque rapidamente, porque se aproxima o fim de ano, e a demanda certamente aumentará”, pontou a coordenadora de captação da Fhemeron, Maria Luíza Pereira.

A coleta externa está em andamento nas unidades da Fhemeron. A equipe de Rolim de Moura (Zona da Mata) dirigiu-se a São Miguel do Guaporé, a 492 quilômetros de Porto Velho, e a equipe de Ariquemes foi buscar bolsas de sangue em Buritis (Vale do Jamari), a 323 quilômetros.

“A campanha no interior continuará no próximo dia 20 de novembro em Jaru, na BR-364, a 291 quilômetros da Capital, coincidindo com a abertura da Semana Nacional do Doador Voluntário”, informou Maria Luíza.

Apesar das dificuldades, a Fhemeron projeta nos períodos do Natal e Réveillon melhor situação do que a de anos anteriores. Desta maneira, a equipe de captação e a direção da Fundação alertam a população para evitar autoconfiança: “Muita gente acredita que a pandemia acabou. Sangue não se fabrica, nem se compra em farmácia, tem que ser doado voluntariamente”, enfatizou a coordenadora.

PODEM DOAR SANGUE

  • Pessoas com idades entre 16 e 69 anos, com peso superior a 50 quilos e bem alimentado;
  • A pessoa deve evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação e estar descansada, ou seja, ter dormido pelo menos seis horas nas derradeiras 24 horas.
  • Outro fator importante: o (a) doador (a) deve ter doado há mais de 60 dias, ou 90, mulher.
  • Apresentar-se com documento original de identidade e foto recente que permita a identificação. Também servem: carteira profissional de trabalho ou de profissional liberal.

MÁXIMO CUIDADO

  • Em caso de resfriado, a pessoa deve aguardar sete dias após o desaparecimento dos sintomas; gravidez: 90 dias após o parto normal e 180 dias após a cesariana; amamentação: se o parto ocorreu há menos de 12 meses; se tiver tatuagem/maquiagem definitiva nos derradeiros 12 meses.
  • Em situações nas quais existir maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses. E em qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia e rinoscopia): aguardar seis meses.
  • Epilético não pode doar.

Publicidade

educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook