Conectado por

Rondônia, sábado, 16 de outubro de 2021.



Política

Deputado Adelino Follador volta a criticar a criação de reservas em áreas consolidadas


Compartilhe:

Publicado por

em

Criação de 11 unidades de conservação, no Governo anterior, gera prejuízos a produtores rurais

O deputado Adelinho Follador (DEM) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta terça-feira (21), para mais uma vez criticar a criação de unidades de conservação em áreas já consolidadas, antropizadas e com documentos.

Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O fato ocorreu no Governo anterior, com a Assembleia Legislativa aprovando decretos sustando a criação das reservas, mas decisão judicial manteve a criação das unidades de conservação.
“Tem que reverter, não há outro caminho. O Governo precisa indenizar as pessoas. Eles não são invasores, são proprietários! Mas, hoje estão tirando deles esse direito. Foram criadas sem nenhum planejamento, que não deveria ser criado por decreto, sem audiência pública, sem nenhum levantamento, sem indenizar quem estava na área. Foram criadas à revelia”, disse Follador.
Para Adelino, “a reserva Soldado da Borracha foi rejeitada nesta Casa e foi derrubado, infelizmente. Essa Estação Ecológica Soldado da Borracha é um desrespeito. Mais de 500 famílias que lá residem, com escrituras, com títulos e CAR e são tratadas como invasoras, o que não é verdade. Eles não vão sair, não podem sair. Investiram a vida lá dentro. Eles não podem ser tratados como invasores. Que esta Casa ajude àquelas famílias. Que o Estado também atue em defesa”.
O presidente da Casa, Alex Redano (Republicanos) assegurou que “vamos nos dedicar ao máximo para defender àquelas famílias. São pessoas trabalhadoras, que retiram da terra o seu sustento. O jurídico da Casa está à disposição para contribuir com essa questão. São mais de 800 famílias e mais de 700 propriedades tituladas, afetadas com a criação de uma unidade de conservação”.
Tambaqui
O deputado Adelino aproveitou para registrar o sucesso do Festival de Tambaqui, que surgiu em Ariquemes, se espalhou por Rondônia e hoje chegou em muitas capitais pelo país afora. “Vende o peixe e passa a renda para entidades sem fins lucrativos, com trabalhos sociais. Parabenizo a Emater, a Seagri, o Lions Clube de Ariquemes, todos os voluntários envolvidos. Estimular a cadeia do peixe em Rondônia é importante. Um grande sucesso, mais uma vez”, finalizou.

Publicidade

GOVERNO DE RONDÔNIA educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook