RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, terça, 03 de agosto de 2021.



Nacional

Ser Educacional transforma modelo de negócios e experiência de alunos com nuvem da Microsoft 


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Além do ensino híbrido, nuvem e ferramentas de análise de dados permitem examinar engajamento dos alunos e habilitam aulas com universidades internacionais 

As aulas e a rotina dos alunos não foram mais as mesmas desde a implementação do ensino remoto em todas as unidades de educação e, portanto, os modelos educacionais precisaram acompanhar esta mudança. Foi a esta conclusão que o Grupo Ser Educacional, mantenedor das marcas UNINASSAU, UNAMA, UNG, UNIFACIMED, UNINORTE, UNIJUAZEIRO, UNINABUCO, UNESC, UNIFASB e UNIVERITAS, chegou ao fazer a implementação da computação em nuvem Azure da Microsoft, a fim de transformar as formas com as quais os seus mais de 180 mil alunos estudam, se comunicam entre si e solicitam informações e recursos para as instituições de ensino do grupo presentes nos 26 estados e mais o Distrito Federal do país.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

De acordo com a Ser Educacional, a inovação interna vem acontecendo, dentre outros pilares, com base na experiência do aluno e na identificação de quão digitais eles podem ser. Assim, desde o início de sua jornada de transformação em 2017, realizada com o apoio da Big Brain, empresa de tecnologia parceira da Microsoft, o Ser Educacional já visava a inserir a tecnologia como um apoio em tudo que ofereciam. Deste modo, passaram a integrar a plataforma de colaboração e comunicação Teams, parte do Microsoft 365, dentro das salas de aula. No entanto, foi apenas após a necessidade do isolamento social que a ferramenta ganhou força entre os alunos, proporcionando um ponto de virada digital que se expandiu para outras frentes.

“No modelo presencial, a utilização das ferramentas era baixa, mas agora é superior a 90% dentre todos os professores e alunos. A partir desta virada, tivemos uma mudança na forma como enxergamos a transmissão e o compartilhamento de conhecimento para os nossos alunos. A migração da sala de aula para o ensino remoto, e do ensino remoto para o ensino híbrido atual, nos ensinou muito. E, com isso, decidimos continuar investindo na inovação”, comenta Joaldo Diniz, diretor-executivo de inovação de serviços do grupo Ser Educacional.

Toda a trajetória dos estudantes passou a ser repensada de forma a ser habilitada no modelo digital, desde os processos de matrícula até a formação. Neste ponto, a utilização da plataforma de infraestrutura em nuvem, Microsoft Azure, alinhada a uma estratégia de dados está sendo eficaz para identificar, por exemplo, analisar o engajamento dos alunos para atuar de forma antecipada e diminuir a evasão. Desta forma, o Grupo consegue definir ações que podem evitar a saída deste estudante. O uso de ferramentas de dados também permitiu a transição das turmas, disciplinas e professores para a plataforma de colaboração de forma automatizada, a partir de integração com o sistema de ERP.

Sobre faculdade:

Faculdade São Lucas é vendida para grupo Afya Educacional

Faculdade decide formar 39 alunos de medicina após críticas e recomendação do MPF, em RO

Faculdade não deve usar renda como principal critério na seleção do curso de medicina em RO, recomenda MPF

Segurança no trabalho será tema de palestra da UNESC Rondônia

Atividades online oportunizam experiências extras aos acadêmicos da UNESC Rondônia

 

Outro benefício do uso da nuvem foi a implementação de uma metodologia ágil pelas equipes de tecnologia, cujo objetivo era deixar as soluções dinâmicas entre alunos e professores, com processos fluídos, melhorando a comunicação, os processos avaliativos, modelos de estruturação de aulas, dentre outras atividades. A integração entre equipes de tecnologia e times pedagógicos foi essencial para criar este novo olhar e impulsionar a transformação.

“Para a adoção plena das tecnologias, incentivamos uma cultura interna voltada para o digital, capacitando os colaboradores de toda a companhia a enxergarem o modelo como parte do cotidiano. Também estamos em constante processo de aprimoramento por meio pesquisas sobre a experiência dos alunos e dos professores nas ferramentas em todas as localidades, uma vez que regiões mais distantes dos centros podem ter mais dificuldade de adaptação”, comenta Joaldo.

Ser educacional

O Ser Educacional também mantém o Overdrive, um centro de inovação em Recife, com o objetivo de incentivar a transformação por meio do relacionamento com startups e a realização de comitês de inovação, além de criar o projeto Ubíqua, modelo educacional que propõe grande revolução na área acadêmica e profissional dos estudantes da instituição. Neste modelo serão contempladas dez propostas de atuação, dentre elas o Singular Tech School, que consiste na identificação de demandas de empresas de tecnologia, de forma a disponibilizar aos alunos conteúdos sobre essas áreas criando um alinhamento entre o que o mercado precisa e a capacitação; e o Navega, projeto de aulas com professores de universidade de outros países com o qual os alunos recebem um certificado de conclusão da instituição internacional. Além destes, o Ubíqua tem projetos de Ensino Híbrido, o Projeto Sponsor, o Ser + Empreendedor, o PhD Compartilha, o Notável Mestre, o Acelera Enade, o Ser Experience e o OAB Digital; todos habilitados por meio da tecnologia em nuvem da Microsoft.

Por fim, o Ser Educacional lançou cursos remotos de Data Science, Data Analytics e Inteligência Artificial (IA) buscando seguir o ritmo do mercado, que cada vez mais demanda qualificação destas áreas pelos novos profissionais. “A inovação faz parte da nossa atuação, buscamos sempre estar um passo à frente para termos resiliência em situações desafiadoras como foi no início da pandemia, quando conseguimos fazer a virada para o modelo on-line em apenas uma semana. Deste então, muita coisa mudou. Fizemos em um ano, o que teria sido realizado em 3 anos. A nossa intenção agora é continuar revolucionando o ensino e capacitando a geração profissional do amanhã”, finaliza Joaldo, da Ser Educacional.

“O Ser Educacional estava um passo à frente em sua digitalização e, graças a isso, conseguiu habilitar o ensino remoto de forma quase que imediata. Agora, com o ensino híbrido e as outras soluções implementadas, acreditamos que o grupo deve se manter resiliente e pronto para transformar a educação do futuro”, comenta Vera Cabral, diretora de educação da Microsoft Brasil.

 

Sobre o Ser Educacional 

Fundado em 2003 e com sede no Recife, o grupo Ser Educacional (B3 SEER3) é um dos maiores grupos privados de educação do Brasil e líder nas regiões Nordeste e Norte em alunos matriculados. A Companhia oferece cursos de graduação, pós-graduação, técnicos e ensino a distância e está presente em 26 estados e no Distrito Federal, em uma base consolidada de aproximadamente 191,2 mil alunos. A Companhia opera sob as marcas UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau; Faculdades UNINASSAU; UNINABUCO Digital – Centro Universitário Joaquim Nabuco; Escolas Técnicas Joaquim Nabuco e Maurício de Nassau; UNIVERITAS/UNG; Universidade UNG; UNAMA – Universidade e Centro Universitário da Amazônia; Faculdades UNAMA; UNIVERITAS – Centro Universitário Universus Veritas; Faculdades UNIVERITAS, UNINORTE – Centro Universitário do Norte; UNIFACIMED – Centro Universitário de Ciências Biomédicas de Cacoal; UNIJUAZEIRO – Centro Universitário de Juazeiro do Norte; UNESC – Sociedade Educacional de Rondônia; e UNIFASB – Centro Universitário São Francisco de Barreiras. 

 

Sobre a Microsoft  

A Microsoft (Nasdaq “MSFT” @microsoft) habilita a transformação digital na era da nuvem inteligente e da fronteira inteligente. A missão da Microsoft é empoderar cada pessoa e organização no planeta a conquistar mais. A empresa está no Brasil há 32 anos e é uma das 120 subsidiárias da Microsoft Corporation, fundada em 1975. Em 2019, a empresa investiu mais de R$ 48 milhões levando tecnologia gratuitamente para 2.038 ONGs no Brasil, beneficiando vários projetos sociais. Desde 2011, a Microsoft já apoiou mais de 7.100 startups no Brasil por meio de doações de mais de US$ 200 milhões em créditos de nuvem.

(Assessoria)