RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, terça, 20 de abril de 2021.



Destaque

Governador conversa com empresários, firma acordo para que fiscalizem as medidas sanitárias e autoriza mudança no decreto


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O Governo de Rondônia tem mantido um canal comunicação aberto com a classe empresarial para debater medidas definidas nos decretos governamentais publicados com intuito de garantir a saúde da população e a economia das empresas no enfrentamento ao coronavírus. O próprio governador do Estado, coronel Marcos Rocha, tem mantido uma aproximação com grupos empresariais para ouvir os anseios, a exemplo da manhã desta sexta-feira (5), quando foi ao encontro de manifestantes que estiveram em frente ao Palácio Rio Madeira e abriu o diálogo com todos os presentes.

A manifestação de alguns empresários chegou a percorrer várias ruas da região Central de Porto Velho, parando em frente ao Palácio Rio Madeira. Ao tomar conhecimento, o governador fez questão de descer do gabinete. Marcos Rocha ouviu atentamente os empresários e, antes de se pronunciar, foi enaltecido pela atitude ouvir as reivindicações frente-a-frente com os manifestantes.

O chefe do Poder Executivo, foi categórico em afirmar que é contra o fechamento do comércio e que em nenhum momento o Governo do Estado cogitou haver um lockdown, além de chamar à atenção de todos sobre a árdua missão de ter que salvar vidas e empregos.

O governador fez uma breve explanação do cenário preocupante de casos de coronavírus e disse que a conversa pessoalmente era para ouvir a todos e que não iria admitir que a situação se transformasse em politicagem. Sensível ao problema de também salvar a economia e milhares de empregos, Marcos Rocha firmou um compromisso com os empresários: “Eu preciso que vocês me ajudem a controlar e que todos possam fiscalizar em seus setores para que as medidas sanitárias sejam respeitadas verdadeiramente. Todos devem estar unidos e eu irei determinar que o decreto seja alterado”, disse com firmeza.

Marcos Rocha, deixou claro que já determinou que fossem feitas alterações no decreto, mas, também foi categórico em afirmar que se não houver comprometimento de todos e as aglomerações persistirem não poderá mais impedir um decreto rígido para salvar vidas. Após se reunir com os empresários na manifestação, o governador retornou ao gabinete para participar de mais uma reunião remota com o Grupo Pensar Rondônia.

Ao se pronunciar, o chefe do Executivo Estadual, novamente esclareceu ser contra o fechamento do comércio. “Sei o quanto a população está sofrendo, com pessoas perdendo empregos e também sofrendo pelas perdas de vidas de parentes e amigos. Todos falaram que não queriam estar na minha pele. Temos que tomar decisões e neste momento iremos mudar com adaptações que serão feitas”, assegurou.

REUNIÕES COM EMPRESÁRIOS

Desde a noite de quarta-feira (3), o Governo de Rondônia tem mantido reuniões, por videoconferência, com empresários do Grupo Pensar Rondônia, com o intuito de debater propostas visando alterações no Decreto nº 25.853, de 2 de março de 2021, que reforça medidas para o combate ao coronavírus, devido ao aumento exponencial de casos ativos da Covid-19 e a lotação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A videoconferência chegou a ser retomada durante toda a tarde de quinta-feira (4), quando foi dada continuidade às propostas de mudança do decreto, com total atenção às pontuações feitas pela classe empresarial. A reunião foi suspensa no final da tarde de quinta-feira e retomada no início da tarde desta sexta-feira (5) para mais uma rodada de discussões sobre alterações no ato normativo.

Na reunião remota desta sexta-feira (5), o empresário Francisco Holanda, do Grupo Pensar Rondônia disse não haver dúvidas que o Governo do Estado em nenhum momento deixou de ouvir os empresários. O decreto governamental apresentou algumas medidas de restrição para conter o avanço da Covid-19, sendo necessárias devido à lotação nas UTIs.

Há a expectativa de um novo decreto ser publicado nas próximas horas, com alterações efetuadas após várias reuniões com a classe empresarial, conforme determinou o governador Marcos Rocha.