PublicidadeDJ90

Desde o início desse ano todos nós temos ouvido falar nas guerras comerciais que Donald Trump tem instigado, principalmente com a China. Guerra comercial é um processo base dentro do mercado capitalista, já que um dos seus princípios é a competição. Os países mais poderosos estão sempre disputando mercados para que dessa maneira consigam aumentar ainda mais o seu poder econômico, político e cultural. E um dos países que mais travou guerras comerciais ao longo da sua história é os Estados Unidos da América, berço do capitalismo moderno e uma das sociedades mais importante económica, politica e culturalmente.

Basicamente, toda guerra comercial tem um único objetivo garantir a produção comercial interna, e vai, portanto, limitar a introdução de produtos externos. Muitos países fazem isso para garantirem a produção interna e a indústria nacional, mas em alguns casos esta ação é intensificada ou diminuída e muitas vezes depende apena da realidade política dos países envolvidos. Abaixo mostramos algumas das principais guerras comerciais americans através da história:

Duas das guerras comerciais no passado recente

Estados Unidos X Japão no setor automobilístico

Os Estados Unidos são um dos maiores produtores de automóveis do mundo, e quando o Japão entrou neste mercado, nos anos 1980, as empresas americanas começaram a perder mercado, levando a uma proteção do mercado interno, limitando a importação de carros japoneses nos Estados Unidos, o que também se amplia para todos os outros tipos de modelos automobilísticos tais como motocicletas.

Estados Unidos X União Europeia na produção de bananas

Apesar de grande parte da produção de bananas ser na região da América Latina e Central, essas produções estão nas mãos de empresas americanas. E nos anos 90, a União Europeia começou a taxar as bananas vindas da América, o que prejudicou os lucros americanos. Os Estados Unidos responderam também taxando diversos produtos europeus, numa escalada que ficou conhecida como a Guerra da Banana, e que só acabou em 2012.

Duas das guerras comerciais no presente

Estados Unidos X China

Um dos maiores inimigos econômicos dos Estados Unidos é a China, já que desde os anos 2000, a potência asiática mudou radicalmente a produção industrial em todo mundo. Para proteger a economia americana, os Estados Unidos têm taxas de importação para os produtos chineses de até 25%. Como resposta a China também aumentou as taxas sobre produtos americanos, e pararia de importar recursos naturais dos Estados Unidos, tais como a soja, e passando a importar mais dos Brasil, o qual já é responsável por mais de 50% da soja presente na China.

Estados Unidos X Canadá

Muitos acreditam que o Canadá é o quintal dos Estados Unidos, mas isso está longe de ser verdade. Os países que são parceiros em vários sentidos estão atualmente em guerra comercial em relação aos recursos minerais entre eles o aço e o alumínio, já que os Estados Unidos colocaram uma taxa de importação de 25% no aço canadense e de 20% no alumínio. Esta é uma das medidas mais duras comercialmente entre os dois países. Vale ressaltar que o Canadá quis fazer um acordo melhor, mas Trump negou.

Ou seja, os Estados Unidos de Trump estão cada vez mais fechados para a importação de produtos do mercado externo de forma a garantir a proteção do seu mercado interno e possivelmente ampliar a produção interna, embora muitos agricultores, como os produtores de soja, por exemplo, digam que essas medidas apenas os vão prejudicar tanto no presente como no futuro. Esta forma de governar de Trump está criando inimigos ao redor do mundo, e só o tempo vai dizer quais serão os resultados na economia americana, tanto positivos como negativos. Trump está ainda a metade do seu mandato, o qual começou em janeiro de  2017 e vai terminar janeiro de 2021, portanto muito poderá ainda acontecer até lá.