Ainda que a greve dos caminhoneiros tenha sido um fator negativo para o comércio  as vendas na Copa do Mundo podem vir a serem estimuladas por um data importante para o comércio: o Dia dos Namorados. Uma sondagem feita pelo Departamento Econômico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-Fecomércio/RO aponta que, apesar dos problemas da economia, há uma perspectiva de um aumento médio de 3 a 4% nas vendas deste ano no Dia do Namorados e que muitas lojas que comercializam TVs, eletroeletrônicos e artigos esportivos podem ser as mais beneficiadas, pois, com a proximidade, os presentes tendem a ser associados com a Copa do Mundo.

 

Para o presidente da Fecomércio/RO, Raniery Coelho, a Copa do Mundo é uma oportunidade de estimular, naturalmente, alguns setores, as vendas no comércio. Muitos estabelecimentos, mesmo não sendo restaurantes e bares, usam a copa como alternativa para aumentar o seu faturamento instalando telões para atrair a clientela. Neste período as TVs despontam como os produtos mais vendidos, mas, o setor de confecções também se movimenta, especialmente, com as roupas e adereços em verde e amarelo, além de bandeiras e outros. “Nós, comerciantes, somos otimistas. Nossa expectativa é que, principalmente, o Brasil indo bem na Copa haja um incremento maior nas vendas”.

 

Enquanto o comércio físico tem um otimismo cauteloso, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) prevê que o faturamento do setor e-commerce no Dia dos Namorados 2018 será de R$ 2,6 bilhões, com um crescimento de 10% em relação a 2017, que acumulou cerca de R$ 2,3 bilhões em vendas. Como o estudo da ABComm abrange as transações comerciais a serem feitas no período entre 28 de maio e 11 de junho de 2018 se calcula que, neste período, serão realizados 8,24 milhões de pedidos nas lojas virtuais brasileiras. A previsão é de um Ticket Médio girando em torno de R$ 317,00.

E, em geral, os produtos mais procurados devem ser as roupas com 28,5%, Perfumes 27,3%; Cosméticos, 18,1%, Calçados  17,4%; Joias, semijoias e/ou bijouterias 15,3%; Acessórios  11,2%; Chocolates 9,4%; Flores  7,1%; Eletrônicos 6,8%; Jantar romântico 5,4%; Pacote de viagens 3,2%; e Serviços estéticos 1,5%.