Rodrigo Faro e Rivania da Silva
Rodrigo Faro e Rivânia da Silva (Divulgação/Record/Reprodução)
PublicidadeBolsas de Estudos com até 70% de desconto

Os moradores de Várzea do Una, de Recife, estão indignados com a obra realizada pela Record na casa de Rivânia da Silva, de 8 anos, que ficou conhecida após salvar livros de enchente que assolaram o Estado. A reportagem do jornal Diário Pernambucano mostra depoimentos de familiares e conhecidos da garota.

De acordo com os moradores, a casa teria sido feita com materiais de baixo custo.  “Eu me preocupo porque a casa foi construída numa região afastada, sem segurança. Cobriram com telha brasilit e me disseram que teria forro, mas eu não estou vendo lá”, diz Dona Ivone, avó de Rivânia à reportagem, que igualmente revelou que o número de cômodos foi inferior ao prometido pela Record.

Ela conta, além disso, que a Record havia prometido um espaço dedicado somente para costuras. “Fizeram um espaço junto da cozinha. Eu nunca vi ninguém costurar na cozinha”, diz. Dona Ivone chegou a questionar a produção, que esteve na obra na última terça-feira (19), mas não recebeu uma resposta clara.

Moradores protestam nas redes sociais contra a Record

A reportagem informa que o projeto, inicialmente, estava sob comando de Allan Kassio, que emitiu uma nota criticando a conclusão da obra. Segundo ele, a Record preferiu realizar a obra com outra companhia.

“Essa casa foge do padrão de habitação para qualquer cidadão. É uma barbaridade o que está sendo feito, principalmente quando você leva a pessoa para um programa de televisão e exibe uma promessa em rede nacional”, critica o arquiteto. Ele diz que, na época, a construção foi orçada em R$ 120 mil, no entanto, o máximo que a emissora gastou foi R$ 30 mil.