Conectado por

Rondônia, sexta, 22 de outubro de 2021.



Destaque

‘Ela deixou casa penhorada com o coiote’, diz irmão de brasileira que morreu em deserto


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Colégio Sapiens

Há dez dias, o corpo da brasileira Lenilda dos Santos, de 49 anos, foi encontrado no deserto por agentes de fronteira do estado do Novo México. A técnica de enfermagem, que era de Rondônia, tentava entrar ilegalmente nos Estados Unidos com um grupo de amigos, mas acabou sendo deixada para trás após passar mal.

O irmão, Leci Pereira de Oliveira, contou que, para atravessar a fronteira, Lenilda contratou um intermediário no Brasil, que fez a ponte com coiotes, criminosos que cobram pela travessia ilegal de imigrantes. O preço combinado? US$ 25 mil.

“Ela deixou essa casa aqui, onde a gente tá fazendo a entrevista, penhorada com o coiote. Ia chegar lá, ia trabalhar, pagar o coiote, aí sim ela pegava o documento da casa dela de volta”, revela o irmão de Lenilda.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

A viagem de Lenilda começou no dia 13 de agosto, quando ela saiu de carro de Vale do Paraíso a caminho de Porto Velho, acompanhada de dois amigos e uma amiga, que também moravam na cidade. Lá embarcaram em um avião para São Paulo, de onde fizeram conexão para a Cidade do México, e então pegaram a estrada em direção à Ascención, perto da fronteira com os Estados Unidos.

Fonte: G1 /Globo.com

Publicidade

GOVERNO DE RONDÔNIA educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook