Conectado por

Rondônia, terça, 09 de março de 2021.


Plural Saúde

Geral

Municípios de Rondônia devem se cadastrar no sistema “Notivisa”; plataforma monitora qualidade de imunizantes


Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), disponibilizou, nesta segunda-feira (8), um passo a passo para o registro de queixas técnicas de vacinas contra a Covid-19, que os municípios devem fazer na página da Agevisa.

Segundo a coordenadora estadual de Segurança do Paciente, vinculada à Gerência Técnica de Vigilância Sanitária, Rosa Almeida, o Estado não teve notificações, mas o acompanhamento da qualidade dos imunizantes é importante para garantir a eficácia da vacinação.


Continua após a publicidade

Rosa explica ser necessário que os municípios façam o cadastramento no Notivisa, o Sistema de Notificações de Vigilância Sanitária da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). ‘‘Esse sistema já é trabalhado há muito tempo no Estado para a notificação de eventos adversos, mas reforçamos a necessidade dele, durante a pandemia do coronavírus, com as vacinas que foram distribuídas para os municípios’’, afirma.

Para auxiliar os municípios e seus serviços de Saúde notificadores nesse cadastramento, a coordenadora destaca que, nesse material informativo disponível na página da Agevisa, no Portal do Governo de Rondônia, tem a explicação por etapas de como proceder no sistema para registro de queixas técnicas.


Continua após a publicidade

‘‘Qualquer desvio de qualidade encontrado na embalagem ou na própria coloração do produto deve ser notificado, para que a Anvisa e o Estado consiga proceder com o monitoramento e, de fato, possam garantir que a qualidade deste insumo seja segura e eficaz’’, considera Rosa Almeida.

A Coronavac e a AstraZeneca são as vacinas atualmente aplicadas na população de Rondônia. Através da plataforma do Painel Covid-19, o governo estadual dá transparência à imunização da população, que já alcançou mais de 25 mil pessoas, entre profissionais de Saúde, idosos institucionalizados e indígenas aldeados. Diante de todos os protocolos, os municípios precisam ficar em alerta quanto aos procedimentos instruídos pela Agevisa.

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook