Conectado por

Rondônia, terça, 30 de novembro de 2021.



Saúde

Profissionais de saúde de Porto Velho recebem capacitação em tuberculose


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Colégio Sapiens

Abandono do tratamento da doença continua a ser preocupante

Profissionais da saúde se preocupam com taxa de abandono do tratamentoProfissionais da saúde se preocupam com taxa de abandono do tratamentoProfissionais de saúde da atenção básica participaram, na última quarta-feira (10), de uma capacitação em tuberculose realizada pela Prefeitura de Porto Velho na sede do Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero).


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Foram duas turmas, 115 participantes pela manhã e 100 durante o período da tarde. São profissionais diversos, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde, entre outros. O foco é a abordagem multiprofissional.

O número de casos registrados em Porto Velho teve uma mudança significativa durante a pandemia de covid-19 com crescimento nos óbitos. Enquanto em 2018 não foi registrado nenhum óbito, esse ano foram contabilizados cinco mortes por tuberculose e 257 casos notificados.

“O evento é uma oportunidade para atualizar informações sobre a doença e avaliar a incidência de casos na capital. Temos a covid-19 que ainda não acabou, mas precisamos dar importância e prioridade ao tratamento da tuberculose”, explica Nilda de Oliveira Barros, coordenadora de Controle da Tuberculose da Divisão de Vigilância Epidemiológica.

Nilda Barros, coordenadora de Controle da TuberculoseNilda Barros, coordenadora de Controle da TuberculoseAlém de atualizar os profissionais de saúde, a capacitação serviu de chamamento para as unidades básicas de saúde do município realizarem programação própria em alusão ao dia 17 de novembro, Dia Nacional de Combate à Tuberculose, onde toda a rede será preparada para realizar atendimento e diagnóstico em pacientes.

Nilda reforça que aos sinais e sintomas como tosse por mais de três semanas seguidas, com ou sem catarro, falta de apetite, perda de peso, cansaço excessivo, dor no peito, febre no fim do dia, suor noturno, emagrecimento acentuado e escarro com sangue, o paciente deve buscar a unidade mais próxima.

ABANDONO DO TRATAMENTO

Um dos grandes desafios no combate à tuberculose continua a ser a taxa de abandono do tratamento. Porto Velho apresenta indicadores epidemiológicos preocupantes em razão da quantidade de pessoas que não concluíram o tratamento. O Ministério da Saúde preconiza uma taxa de cura de 85% e abandono de no máximo 5%. No entanto, em 2020, a cura dos casos novos de tuberculose da forma pulmonar positiva foi de 65,3% e o abandono foi de 31,1%.

“Como o medicamento apresenta melhora clínica logo nos primeiros meses, é comum muitos abandonarem o tratamento antes do prazo necessário”, afirma a coordenadora.

Texto: Renata Beccária
Foto: Saul Ribeiro

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Publicidade

educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook