Conectado por

Rondônia, terça, 30 de novembro de 2021.



Política

Câmara dos Deputados debate saúde mental dos jovens brasileiros


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Colégio Sapiens

A Câmara dos Deputados promoveu hoje (20.10) a primeira audiência pública para debater a saúde mental dos jovens brasileiros. A reunião fez parte das atividades do Grupo de Trabalho formado para promover estudos sobre o aumento dos casos de suicídios, depressão e ansiedade e contou com a participação do psiquiatra Dr Humberto Müller Martins dos Santos e da psicóloga Fabiola P. Ruzzante Fernandes, profissionais de Rondônia. A audiência foi uma iniciativa da deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) relatora do grupo.

Jaqueline Cassol conduziu os trabalhos e destacou a experiência dos profissionais rondonienses para o debate.

“Devemos falar sobre saúde metal e quebrar esse tabu. Dra Fabíola e Dr Humberto são duas referências em saúde mental para Rondônia e Brasil. Profissionais gabaritados para debater o tema e apontar sugestões para a construção de políticas públicas”, afirmou.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O grupo de trabalho foi formado para analisar proposições legislativas e as politicas de prevenção vigentes no país. Essa é a primeira audiência de uma série de reuniões que serão promovidas pelo grupo. O Grupo é composto por 15 parlamentares.

“Precisamos de políticas públicas que possam ser aplicadas, porque não adianta termos legislações e projetos que não cheguem até a ponta, até o cidadão que precisa”, afirmou a relatora Jaqueline Cassol.

DADOS- O psiquiatra Humberto Müller apresentou dados sobre o suicídio no Brasil e no mundo. Segundo o médico, acontecem 16 milhões de tentativas por ano no mundo. “No Brasil, acontece uma morte por suicídio a cada 45 minutos, mas para cada morte temos outras 20 tentativas. Os números são altos e preocupantes”, explicou.

Müller chamou atenção para o aumento nos casos de depressão e Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDH) entre crianças e adolescente. “4% dos adolescentes brasileiros apresentam sinais depressivos e 1 a cada 4 crianças já apresentou indícios da doença”, contou.

Em contra-pronto, os números de Centros de Atenção Psicossocial são insuficientes para o atendimento de todos. “Em Rondônia temos apenas um CAPS I (centro especializado no atendimento infanto-juvenil). Os números são muito pequenos pela magnitude dos problemas”, afirmou.

PÓSVENÇÃO- A psicóloga Fabiola P. Ruzzante Fernandes ressaltou a necessidade de criar um plano de pósvenção, que é o conjunto de ações para promoção do cuidado prestado aos sobreviventes enlutados por um suicídio, para evitar que novas tentativas aconteçam no mesmo núcleo familiar ou escolar.

“É muito importante ter um plano consolidado de pósvenção, uma política pública nacional” disse. “Quando uma família vivencia uma perda por suicídio ela fica totalmente desorganizada, buscando constantemente pelo motivo, se culpando. É uma situação extremamente dolorosa que precisa de cuidados, pois há riscos de termos dentro desse mesmo grupo outras tentativas”, destacou.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Publicidade

educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook