Conectado por

Rondônia, segunda, 20 de setembro de 2021.



Destaque

Especialista faz alerta sobre os cuidados fundamentais com a voz


Compartilhe:

Publicado por

em

Além de um recurso ocupacional, a voz é parte de quem somos, nos caracteriza como um traço único


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Hoje, 16 de abril, é celebrado o dia mundial da voz. Locutores, radialistas, cantores e diversos outros profissionais usam a voz como instrumentos de trabalho. Quem não reconheceria, mesmo com os olhos fechados, a voz de Cid Moreira ou Silvio Santos, por exemplo?  Mas, para além de um recurso ocupacional, a voz é parte de quem somos, nos caracteriza como um traço único.

A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) é de que, em cada ano do triênio (2020/2022), 7.650 novos casos de câncer de laringe serão diagnosticados no Brasil. Esse tipo de câncer, geralmente, apresenta os primeiros sintomas nas cordas vocais.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Nesse sentido, a fim de conscientizar a população, o Dia Mundial da Voz traz um alerta sobre a importância e os cuidados necessários que devemos ter para preservar uma das características mais marcantes do ser humano.

Os primeiros sinais de distúrbios vocais podem ser percebidos ainda na infância. As crianças que apresentam disfonia podem apresentar dificuldade para relatar acontecimentos e elaborar frases, déficits de memória, troca de sons na fala, problemas de fonação.

A fonoaudióloga Louise de Oliveira, orienta pais e responsáveis a incentivarem o desenvolvimento da fala com conversas genuínas e brincadeiras que incitem o falar. “É importante gerar um bombardeamento de estímulos no cérebro da criança, mas, se os responsáveis perceberem que há algo de errado com o desenvolvimento da linguagem, é indispensável buscar avaliação de um especialista”, aconselha.

Já na fase adulta, algumas medidas precisam ser tomadas para preservar as cordas vocais e evitar rouquidão funcional ou problemas mais sérios como nódulos, pólipos ou fenda vocal. “Evitar abusos vocais principalmente quando associado ao uso/abuso de álcool, além de prestar atenção no consumo de água e boa alimentação, poupar-se de falar por longos períodos, no caso de professores e outros profissionais que usam a voz como principal recurso ocupacional. É sempre importante realizar acompanhamento fonoaudiológico para garantir uma voz saudável ao longo de toda vida”, defende Louise.

O consumo de água e de alimentos adstringentes, como maçã, por exemplo, auxiliam na redução da produção de muco em todo trato laringofaringeo, região que participa ativamente do processo de amplificação e modulação vocal.

Assim como nas atividades físicas, ao usarmos a voz, precisamos fazer o devido aquecimento, considerando que algumas estruturas que participam da ativação da nossa voz são musculares. “Por isso, é necessário aquecer e desaquecer a voz quando for falar mais alto ou por mais tempo”, sinaliza a especialista.

A fonoaudióloga alerta ainda que “realizar exercícios que não tenham sido prescritos por um profissional é perigoso, porque cada exercício vocal tem objetivo de agir em regiões diferentes da prega vocal. Sendo assim, se uma pessoa realiza exercícios inapropriados pode ter prejuízos severos”.

Veja abaixo algumas dicas válidas para o dia a dia. Queixas específicas demandam outras intervenções e acompanhamento especializado.

  • Beba bastante água (em temperatura ambiente) enquanto estiver falando, em pequenos goles.
  • Mantenha uma alimentação equilibrada, evitando passar muito tempo em jejum e mastigando bem cada alimento ingerido;
  • Coma maçã, pois é adstringente e limpa o trato vocal;
  • Use roupas confortáveis e de tecidos que absorvam a transpiração. Roupas leves e folgadas são ideais para quem trabalha com a voz.
  • Tenha um sono regular;
  • Evite competir com ruídos externos durante a fala;
  • Tente não gritar. Se for falar em público, opte sempre pelo microfone;
  • Fale pausadamente e de maneira correta, articulando bem as palavras;
  • Evite tossir ou pigarrear, respire profundamente pelo nariz e engula a saliva várias vezes ou beba água;
  • Evite usar sprays, pastilhas e dropes que possuem efeito anestésico, isso pode mascarar os sintomas de alguma doença e permitir o abuso vocal.
  • Reduza o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Evite bebidas à base de cafeína, refrigerantes, frituras e alimentos pesados, gordurosos ou condimentados, pois podem dificultar a digestão, provocando refluxo;
  • Evite cigarro.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Publicidade

GOVERNO DE RONDÔNIA educamaisbrasil educamaisbrasil

Últimas notícias

Facebook