Conectado por

Plural Saúde

Saúde

Pessoas com mais de 75 anos, profissionais de saúde e indígenas serão os primeiros imunizados em Rondônia


Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O Governo do Estado de Rondônia apresenta o Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. O documento foi elaborado e entregue pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) para a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) na última sexta-feira (15). O Plano tem o objetivo de estabelecer ações e estratégias para a operacionalização da vacinação contra à Covid-19 em Rondônia, apresentar a população-alvo e grupos prioritários para vacinação, além de oferecer informações de como otimizar os recursos por meio de planejamento e programação para operacionalizar a imunização nos 52 municípios. Tem ainda, a finalidade de instrumentalizar as Gerências Regionais de Saúde e os municípios para vacinação contra à doença.

GRUPOS PRIORITÁRIOS

Um dos principais temas abordados no Plano são os públicos a serem vacinados prioritariamente. Segundo o Plano Nacional de Vacinação contra à Covid-19, a vacina será realizada em quatro etapas obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. Os grupos prioritários a serem vacinados foram baseados em princípios similares aos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde. Dessa forma optou-se pela seguinte ordem de priorização: preservação do funcionamento dos serviços de saúde, proteção dos indivíduos com maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos, preservação do funcionamento dos serviços essenciais e proteção dos indivíduos com maior risco de infecção. Seguindo essa diretriz, na primeira fase serão vacinados trabalhadores de Saúde, pessoas de 80 anos ou mais, pessoas de 60 anos ou mais institucionalizadas, pessoas de 75 a 79 anos e população indígena acima de 18 anos.


Continua após a publicidade

No documento é ressaltada a questão da segurança das vacinas, ou seja, a importância de mantê-las armazenadas em local seguro. “As vacinas devem ser cercadas de cuidados, inclusive vigilância 24 horas, principalmente em locais que não possuem motor gerador de energia. Dessa forma, o ideal é mapear todos os riscos para que seja possível garantir a integridade, qualidade e eficácia das doses”, destaca Ana Flora Gerhardt, diretora-geral da Agevisa.

O Plano também menciona a temperatura ideal para conservação dos imunobiológicos e envio diário do quantitativo estimado para as salas de imunização.


Continua após a publicidade

CAPACITAÇÕES PARA SERVIDORES

As capacitações dos servidores que vão atuar na campanha de vacinação são elencadas como importante instrumento de atuação no Plano Estadual de Operacionalização. Estão previstos treinamentos voltados à qualificação de profissionais de saúde do SUS, em especial aos profissionais inseridos na Atenção Primária em Saúde e nas mais de 360 salas de vacinas existentes no Estado, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (Cgpni) e a Secretaria de Atenção Primária à Saúde/MS.

O curso denominado “Vacinação para Covid-19: protocolos e procedimentos” será oferecido na modalidade de Educação à Distância (EaD), com conteúdo adequado ao perfil dos profissionais da rede do SUS. O Estado também conta com a parceria do Centro Técnico Profissionalizante da Área da Saúde (Cetas) para o treinamento de profissionais. Já a Coordenação Estadual de Imunizações desenvolverá reuniões técnicas para esclarecimentos e orientações aos municípios durante o período da campanha de vacinação. “A parceria com a Escola Técnica do SUS de Rondônia capacitará enfermeiros e outros profissionais de saúde residentes na rede Estadual em Porto Velho como suporte adicional à Capital”, explica Ivo Barbosa, coordenador de Imunização da Agevisa.

REDE DE FRIO 

As vacinas serão armazenadas na Central Estadual de Rede de Frio, da Agevisa, que possui área total construída de 1.500 m² (metros quadrados). A rede de frio está equipada com sala de preparo climatizada, almoxarifado, doca de carga, descarga, 17 freezers convencionais de 548 litros cada, duas câmaras para conservação de imunobiológicos de 400 litros cada e quatro câmaras frigoríficas com espaço total de 372 m3 (metros cúbicos).

ESCOLTA 

O Plano Estadual de Operacionalização prevê a participação da Segurança Pública para atuar no processo visando a preservação do material durante o transporte, até os locais de acondicionamento desses imunobiológicos e nas salas de vacina.

Balizado pela informação da Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística (NTC), esclarece que após levantamento realizado em parceria com as Polícias Civil, Militar e Rodoviária, foram registrados 22 mil roubos de cargas nas rodovias brasileiras somente no último ano. O Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra à Covid-19 sugere a utilização de escolta armada em rodovias durante o transporte das vacinas. “Essas ações integradas permitem a garantia da operacionalização da campanha e possibilita a vacinação em massa nas mais diversas localidades”, reforça Ana Flora.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO 

O Estado de Rondônia possui 362 salas de vacinação ativas e contará com atuação estimada de 1.600 servidores na campanha de vacinação. A estimativa é de que a imunização tenha início no Estado entre a segunda quinzena de fevereiro e a primeira quinzena de março de 2021. O cronograma de vacinação vai seguir o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, que define os grupos prioritários.

No primeiro momento, em Rondônia serão utilizadas as vacinas CoronaVac e Astrazeneca. A Coordenação Estadual de Imunizações da Agevisa conta com 1.200.000 (um milhão e duzentas) seringas em estoque e estão sendo adquiridas mais um milhão de seringas para serem utilizadas durante a campanha de imunização da Covid-19.

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook