Giardinni SBS
Conectado por

Plural Saúde

G1

Dia de Finados: cemitérios de Rondônia abrem para visitação


Publicado por

em


Missas e homenagens marcam o feriado nesta segunda-feira (2). Prefeituras orientam uso de máscara e distanciamento social em razão da pandemia do novo coronavírus. Os cemitérios municipais foram autorizados a abrir para visitação durante o feriado de Finados, nesta segunda-feira (2), em Rondônia. A recomendação dos executivos é que os visitantes usem máscaras, evitem formar aglomerações e mantenham o distanciamento de um metro e meio em razão da pandemia do novo coronavírus.
FOTOS: confira a movimentação
Dia de Finados durante a pandemia
Veja como está sendo o Dia de Finados no estado:
Porto Velho
Fiéis começaram a ir ao Cemitério dos Inocentes para homenagear seus entes queridos por volta das 7h. O movimento começou fraco no início da manhã. Os visitantes faziam o uso de máscaras, conforme o recomendado. Já no Santo Antônio o movimento pela manhã foi grande. A visitação nos cemitérios se estende até às 18h.
Homem narra lembranças dos 37 anos de limpeza de túmulos em cemitério de Porto Velho
Dia de Finados no Cemitério dos Inocentes.
Jheniffer Núbia/G1
A prefeitura da capital voltou atrás e liberou a comercialização de velas e flores durante o feriado. A decisão foi divulgada no domingo (1º) através de nota. Até o fim da manhã de domingo, a venda estava suspensa por protocolo de segurança em razão da pandemia do novo coronavírus.
Veja mudanças no transporte coletivo de Porto Velho no Dia de Finados
Comerciantes na frente do Cemitério dos Inocentes em Porto Velho no Dia de Finados.
Jheniffer Núbia/G1
Jaru
As visitações foram liberadas por volta das 7h no Cemitério de Jaru. A gerência Municipal de Transporte e Trânsito da cidade (Gemtran) faz o controle de tráfego. Apesar da movimentação estar tranquila, muitas pessoas estão sem máscara.
Uma missa programada para a manhã desta segunda. Os fiéis devem respeitar o distanciamento e fazer o uso de máscaras.
Cemitério de Jaru.
Portal P1/Reprodução
Ji-Paraná
A tradicional missa abriu a visitação nos cemitérios de Ji-Paraná. No da Saudade, o maior da cidade, algumas pessoas se aglomeraram para acompanhar a celebração, mas preferiram ficar de longe.
Segundo a vigilância sanitária, mais de 14 mil pessoas passaram pelos dois cemitérios do município nesta segunda. Na entrada, os visitantes eram orientados sobre o distanciamento social, além do uso de máscara.
Dia de Finados em Ji-Paraná começa com celebração de missa.
Gedeon Miranda/Rede Amazônica
Guajará-Mirim
Em Guajará-Mirim, a maioria dos moradores aproveitou o fim de semana para a visita no Cemitério Santa Cruz. Nesta segunda, a movimentação teve início a partir das 7h e foi fraca. Não houve tumultos e todos que passaram pelo local usavam máscaras.
O cemitério Santa Cruz é o único na zona urbana da cidade e tem mais de 100 anos. Estima-se que ao menos 15 mil corpos foram enterrados, já que o local está sendo usado como cemitério desde a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM).
Há várias gestões municipais se debate sobre a construção de um novo cemitério na cidade, mas nada saiu do papel. A visitação no cemitério poderá ser feita até as 18h desta segunda.
Cemitério Santa Cruz em Guajará-Mirim no Dia de Finados.
Lena Mendonça/Guajará-Mirim
Ariquemes
O movimento de visitantes nos cemitérios São Francisco de Assis e São Sebastião, em Ariquemes, está abaixo da registrada no ano passado, o que provavelmente seja reflexo do cancelamento das missas nos locais por causa da pandemia.
No cemitério São Francisco de Assis, por exemplo, há uma ala de enterros das pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus. Nesse espaço a visitação não é permitida.
Movimento no Cemitério São Sebastião no Dia de Finados em Ariquemes.
Reprodução/Rede Amazônica
Cacoal
Os cemitérios de Cacoal abriram as 7h e seguem abertos até as 18h. Equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente estão nas duas entradas do cemitério com álcool em gel e fiscalizando para que os visitantes não entrem sem máscaras, já que a rotatividade de pessoas é grande.
A prefeitura da cidade não tem expectativa de quantas pessoas devem passar pelos dois cemitérios, Santo Antônio e outro na Linha 6, mas a orientação é que os visitantes que se encaixam nos grupos de risco não saiam de casa para irem aos locais por causa de risco de contaminação com o Sars-Cov-2, conforme o secretário de Meio Ambiente do município, Francisco Nóbrega.
Cemitério Santo Antônio em Cacoal.
Magda Oliveira/Rede Amazônica
Todos os anos, o aposentado Valdomiro Constâncio de Carvalho, de 66 anos, vai o cemitério Santo Antônio, em Cacoal, para visitar o túmulo dos pais que morreram de câncer no Dia de Finados. Ele aproveita esse dia para lembrar todo o amor e cuidado que recebeu dos pais enquanto eram vivos.
“Faço questão de vir ao cemitério todos os anos visitar e deixar uma vela no túmulo dos meus pais. É um dia de muita saudade, lembranças. Todas as pessoas deveriam dedicar pelo menos um dia no ano para os entes”, acreditou Valdomiro.
Aposentado Valdomiro Constâncio de Carvalho e companheira no Cemitério Santo Antônio, em Cacoal.
Magda Oliveira/Rede Amazônica
Vilhena
A movimentação de visitantes foi intensa no cemitério de Vilhena durante a manhã do feriado. As missas tradicionais ocorreram nas igrejas da cidade entre às 7h e 9h em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A previsão é de que as visitações cessem às 19h.
Cemitério em Vilhena tem movimentação intensa no Dia de Finados.
Maelly Nunes/Rede Amazônica
*Colaborou: Gedeon Miranda, Rinaldo Moreira, Ana Cláudia Ferreira, Maelly Nunes, Magda Oliveira, Lena Mendonça, Jheniffer Núbia (G1 RO) e Mayara Subtil (G1 RO).
Veja mais notícias do G1

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura

Publicidade

Mais destaques

Facebook