Giardinni SBS
Conectado por

Plural Saúde

G1

Voluntários se unem para acabar com mini-lixões em ramal no rio Madeira em Porto Velho


Publicado por

em


Ramal Niterói tem sido usado para descarte irregular de lixo. Objetivo do grupo também é conscientizar moradores e motoristas para que os espaços não sejam degradados novamente. Lixo é descartado de forma irregular no ramal Niterói, em Porto Velho
Diêgo Holanda/G1
Um grupo de voluntários se reuniu na manhã deste domingo (1º) para um mutirão de limpeza em um ramal da margem esquerda do rio Madeira, em Porto Velho. O local, a cerca de sete quilômetros do centro da cidade, costuma ser usado usado irregularmente para descarte de lixo.
A ideia de limpar a área partiu da professora aposentada Ivete de Aquino. Sempre que ia visitar uma filha que mora na região, ela observava a sujeira na beira da estrada e buscou uma forma de resolver aquilo.
“Eu queria vir andando todo o percurso do ramal juntando esse lixo sozinha porque era uma coisa que me incomodava, mas aí eu percebi que outras pessoas também se incomodavam. Foi a essas pessoas que eu comecei a me aliar e o resultado é esse. Começou a ideia de primeiro retirar o lixo e essa ideia se desdobrou pra ações educativas, porque a gente sabe que só retirar o lixo é paliativo”, disse a aposentada.
Voluntários plantaram árvores para ajudar na recuperação da área
Diêgo Holanda/G1
Para fortalecer a conscientização dos moradores e motoristas que passam pela área, o grupo providenciou e instalou placas de orientação onde ficavam os mini-lixões. Além disso, mudas de árvores foram plantadas para recuperar o espaço natural.
Apenas em um dos pontos alvo de limpeza neste fim de semana, foram retirados cerca de 30 sacos de lixo. Entre os resíduos descartados de forma irregular estavam caixas, embalagens de plástico, vidro e até móveis, como uma geladeira.
Entre os parceiros da ação estava o paisagista Thulio Santiago, que ainda levou uma amiga para ajudar.
“Eu tive o presente, a honra de estar junto participando desse projeto, que na verdade é uma semente para as presentes e futuras gerações entenderam a necessidade de a gente preservar, conservar e contribuir pra um meio ambiente mais equilibrado”, reforçou.
Placas foram colocadas onde ficavam os mini-lixões; objetivo é conscientizar a população local
Diêgo Holanda/G1
O presidente da associação dos moradores da área, Raimundo Nonato Xavier, integrou o grupo Ramal Limpo e espera a adesão de mais pessoas.
“Nós moramos na comunidade, então a gente tem que zelar, fazer alguma coisa. Esse trabalho é difícil, porque a gente convida as pessoas e não acreditam que isso vai acontecer, mas mesmo assim a gente teve a ideia e colocou em prática. A gente quer continuar porque não é só o nosso ramal que está nesse estado”, declarou.
Veja mais notícias do G1

Continua após a publicidade

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura

Publicidade

Mais destaques

Facebook