educamais
Conectado por

Plural Saúde

Agronegócio

Oferta de colostro nas primeiras 24 horas é fundamental para o sistema imunológico das bezerras


Publicado por

em


Continua após a publicidade

A criação de vacas leiteiras exige cuidados desde o nascimento. As bezerras são animais frágeis, que necessitam consumir colostro de suas mães para se nutrir e fortalecer o sistema imunológico, evitando inflamações umbilicais, diarreias e doenças respiratórias. A zootecnista Jessica Taborda, consultora técnica comercial da Auster Nutrição Animal, explica que o colostro é secretado das glândulas mamárias da vaca durante as primeiras 24 horas após o parto. Sua composição é diferente do leite em termos de propriedades físicas e funções imunológicas, com altas concentrações de imunoglobulinas (anticorpos).

“A placenta da vaca não permite a passagem de anticorpos da mãe para o feto. Dessa forma, quando nascem as bezerras são totalmente dependentes do consumo do colostro para adquirir imunidade, chamada de imunidade passiva, até que seu organismo produza seus próprios anticorpos (imunidade ativa). Vale ressaltar que a concentração de imunoglobulina no colostro varia de acordo com número de partos da fêmea, histórico de enfermidades, volume de colostro produzido, estação do ano e nutrição durante o período seco”, informa a consultora técnica da Auster.


Continua após a publicidade

Jessica Taborda explica que a capacidade de absorção de moléculas grandes, como as de imunoglobulinas, por parte dessas bezerras declina a cada hora de vida. Assim, quanto mais tempo passa menos as moléculas são absorvidas – já no segundo dia, elas já não são mais absorvidas, tendo como efeito desse colostro apenas a proteção local no intestino e a função nutricional. Outro ponto importante é a quantidade de colostro fornecido. “A recomendação é consumo de volume equivalente a 15% do seu peso vivo e que 2 a 3 litros desse total sejam fornecidos antes de completar 6 horas de vida. Além disso, é importante respeitar o intervalo de 4 horas entre um fornecimento e outro”.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

A consultora técnica da Auster recomenda, ainda, que as fazendas leiteiras tenham banco de colostro, com pequeno estoque de uma vaca saudável caso alguma bezerra não tenha o colostro da própria mãe ou mesmo para substituir o colostro de baixa qualidade. Para isso, é importante que as vacas sadias recém-paridas sejam ordenhadas e o seu colostro seja avaliado com um colostrômetro. Esse colostro pode ser armazenado em geladeira por até 7 dias aos 4°C ou ser congelado por até um ano entre -15°C a -20°C.

Uma das estratégias para que as vacas leiteiras sejam capazes de produzir colostro de alta qualidade é ficar atento na nutrição do período que antecede ao parto, além do aumento de qualidade na produção do colostro, utilizando essa estratégia, evita-se também o aparecimento de algumas doenças metabólicas. A Auster Nutrição Animal conta com a linha Númia VL Pré-Parto, núcleo vitamínico mineral que tem em sua composição macro e micro minerais, minerais orgânicos, vitaminas A, D e E, complexo melhorador de ambiente ruminal, levedura viva, flavomicina e gordura vegetal perolizada, nutrientes que ajudam a manter a qualidade do colostro ofertado. “Receber os nutrientes necessários nessa fase inicial da vida é essencial para a fêmea leiteira superar as adversidades e ter o melhor desenvolvimento possível, tornando-se uma matriz produtiva e fértil”, ressalta Jessica Taborda, da Auster Nutrição Animal

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura