educamais
Conectado por

Plural Saúde

Política

Luizinho Goebel defende celeridade na atualização do Zoneamento


Publicado por

em

Luizinho Goebel defende celeridade na atualização do Zoneamento

Deputado disse que Governo precisa fazer o estudo, para garantir segurança para o homem do campo

O deputado Luizinho Goebel (PV) usou a tribuna na sessão desta terça-feira (01), para defender celeridade do Governo no estudo de atualização do Zoneamento Socioeconômico e Ecológico, para ser enviado à Assembleia Legislativa e garantir a segurança para o homem do campo.

Continua após a publicidade

“Há muitos anos se arrasta uma celeuma em torno do Zoneamento, uma ferramenta importante para a nossa Rondônia. Todo mundo sabe que o que tem segurado a nossa economia, é o setor produtivo, a nossa agropecuária. Mas, esse setor vital, está sendo prejudicado pela falta da aprovação do Zoneamento. Essa alteração se arrasta há anos, mas nunca fica pronta e nunca é enviado para esta Casa, para ser apreciado pelos deputados. Estamos em 2020 e nada de recebermos esse projeto, aguardado há anos”, afirmou Goebel.

Segundo o deputado, “há poucos dias, estive em vários municípios, estive com muitos produtores rurais e, infelizmente, é um desespero total. Sem o Zoneamento, não regularizamos áreas. Não sabemos o que fazer. Isso traz um transtorno e um prejuízo enorme. Vai trazer ainda mais prejuízos, afetando a nossa economia diretamente e fica aqui o meu alerta”.


Continua após a publicidade

Luizinho Goebel argumentou que “se podemos fazer segurança, educação, saúde e estradas, é porque temos homens e mulheres no campo, trabalhando, gerando emprego, gerando renda. Imploro para que o secretário da Sedam se debruce sobre esse tema e mande esse projeto do Zoneamento aqui para esta Casa. Estamos fechando o segundo ano de mandato de Marcos Rocha e é preciso dar celeridade nessa matéria”.


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

De acordo com o parlamentar, “há um desespero de pequenos agricultores que estão sendo multados, ameaçados de deixar sua propriedade rural, punidos pelos órgãos ambientais. Se não bastassem esses problemas, temos uma indústria da multa, que impede o produtor de acessar financiamento, de comercializar sua produção”.

Para finalizar, Luizinho Goebel disse que “ao invés de fazer fiscalização, o Governo deveria concentrar esforços para fazer essa atualização do Zoneamento. Poderia montar uma força tarefa para isso, com os demais poderes e instituições, para resolver esse impasse e garantir a segurança para a atuação de quem planta e cria em Rondônia”.

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura

Publicidade

Mais destaques

Facebook