PublicidadeDJ90

A agilidade com que o Dnit acionou uma empresa e a rapidez na recuperação da cabeceira da ponte sobre o igarapé Andira – no quilômetro 464 da BR-364, entre as cidades de Jaru e Ariquemes – é reconhecido pela Federação das Indústrias de Rondônia como uma ação rápida, eficaz, digna de elogios.

Ao fazer essa observação, o presidente da Fiero, Marcelo Thomé, disse que a leitura que se tira deste incidente é a de que “precisamos urgentemente atuar junto ao Governo Federal para que a rodovia seja restaurada o mais breve possível. A BR está com sua vida útil vencida há muito tempo e não foi projetada nem executada para suportar o volume de tráfego que por ela passa hoje”, pontua Thomé, para quem as obras paliativas já não são mais o suficiente para garantir a segurança e a trafegabilidade da BR-364.

O presidente da Fiero também elogiou a pronta intervenção do senador Marcos Rogério e do deputado Laerte Gomes, presidente da Assembleia Legislativa, que atuaram conjuntamente nos contatos com o Ministério da Infraestrutura e, até mesmo, verificando ‘in loco’ os danos provocados pela força da água de uma noite inteira de chuva.

Mas, no entendimento da Federação das Indústrias de Rondônia, é preciso avançar e aproveitar o início da nova legislatura e do novo Governo para expor as necessidades de iniciar urgentemente a completa duplicação da BR-364 – sobretudo no trecho Comodoro (MT) – Porto Velho, que concentra o intenso tráfego de carretas transportando soja do norte do Mato Grosso até o porto de Porto Velho.

Para a Fiero, o Governo Federal precisa ser sensibilizado pela bancada de Rondônia no Congresso sobre a posição estratégica de Rondônia como importante hub de transporte da região Norte, tendo a BR-364 como espinha dorsal do modal terrestre. “Por isso, devemos concentrar nossas energias e união para sensibilizar o Governo Federal a liberar os recursos para a duplicação da rodovia”, propõe Marcelo Thomé.

Assessoria de Comunicação Social do Sistema Fiero