PublicidadeDJ90

Em sua primeira coletiva de imprensa, após a posse nesta terça-feira (1º), em Porto Velho, o governador Marcos Rocha confirmou a criação de uma Superintendência de Inteligência para combater a corrupção dentro dos órgãos públicos. O novo governador ainda falou sobre união dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo.

“Vou criar uma Superintendência de Inteligência para poder atuar no combate à corrupção que possa existir dentro dos vários órgãos públicos. O objetivo é que ela trabalhe integrada com todos os outros poderes e assim conseguiremos resolver o problema no nosso Estado. A corrupção é destrutiva. Tudo o que eu falei durante a campanha, eu não menti, eu vou fazer na prática agora e vou precisar do apoio dos deputados e da sociedade para que possamos despontar no cenário nacional”, disse o novo governador.

Sobre os principais trabalhos, Marcos Rocha destacou que existem muitos problemas já sendo resolvidos, outros ainda precisam ser levantados, mas que o trabalho será intenso. Ainda segundo ele, a própria comissão de transição irá continuar trabalhando, junto com o secretariado que irá ser empossado no próximo dia 4 de janeiro, para levantar, principalmente, a questão das dívidas do Estado. “O estado tem grandes dívidas a serem quitadas, como precatórios, Caerd, Beron e Iperon. É muita responsabilidade. Mas nós precisamos gerar emprego e renda e é assim que vamos fazer o Estado se desenvolver perante o cenário nacional”.

Logo após receber a faixa de ex-governador Daniel Pereira, Marcos Rocha embarcou para Brasília para acompanhar a posse o presidente Jair Bolsonaro e onde também terá reuniões com os ministros, nesta quarta e quinta-feira, já em busca de recursos para Rondônia. “Tudo o que ele (Jair Bolsonaro) falou, ele vai fazer. Em todos os discursos ele falou é de trazer investimentos. Ele vai entrar e verificar as condições. Sabemos que teremos grandes batalhas, mas trabalharemos com honestidade”, finalizou.