A Justiça do Trabalho da 14ª Região, com jurisdição nos Estados de Rondônia e Acre, realizou na sexta-feira (24/8) o primeiro Ato Público com o tema “Violências no Trabalho – enfrentamento e superação”, no auditório do Ministério Público do Trabalho em Porto Velho. O evento teve o apoio e participação de diversas entidades que representam empregados e empregadores. O segundo será realizado na próxima sexta-feira (31), às 8h30, no Fórum Trabalhista de Rio Branco, capital do Acre.

Ao abrir o evento o juiz do trabalho Vitor Leandro Yamada destacou que este é apenas o primeiro de outros encontros que serão promovidos pela Justiça do Trabalho para debater  temáticas relacionadas a violências sofridas no ambiente de trabalho como: assédio moral, assédio sexual, acidente de trabalho, trabalho escravo, trabalho infantil, discriminação (por doença, gênero, idade, raça, deficiência e outros).

Yamada ressaltou que na própria Justiça do Trabalho teve casos de suicídios, o que significa que todos estão sujeitos ao problema, por isso é fundamental debater os impactos psicológicos causados pelas violências no Trabalho. “Muitas vezes falam que é “mimimi” que é “frescura”, olhe ao redor e vejam que isso acontece muito próximo da gente, às vezes até nós mesmos temos que fazer essa autocrítica”, disse o magistrado.

Para o procurador do trabalho Élcio de Sousa Araújo, o MPT14 tem como uma de suas metas prioritárias o combate a irregularidades no ambiente de trabalho. “Nós estamos falando de vidas, de evitar doenças, promover a longevidade dos trabalhadores, depois temos que pensar em números e em dinheiro”, concluiu Araújo.

O presidente da Amatra14, juiz Antônio César Medeiros, destacou o enfoque dado ao Ato Público. “Pois se não for o ser humano como foco a gente perdeu toda nossa linha de raciocínio e evolução humanitária, por isso precisamos unir forças para podermos ter ambiente harmônico, produtivo e saudável”, registrou.

Segundo a gerente do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Rondônia (Cerest/RO), Ana Flora Gerhardt, a doença causada por assédio no ambiente de trabalho, não fica apenas alí, se estende também ao ambiente familiar, na sociedade e o cidadão começa a ser uma pessoa alijando do ambiente social.

Para o representante do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal nos Estados de Rondônia e Acre (Sindijufe), Antonio Baptista de Souza, é louvável que a Justiça do Trabalho brasileira e no âmbito da 14ª Região promova o debate por meio de Atos Públicos, é importante tratar sobre o assediador. “A realidade quem mais conhece é a classe trabalhadora. Existem casos específicos a servidores da própria Justiça do Trabalho, a realidade precisa ser enfrentada. Um prédio bonito não resolve, é importante chamar a atenção para as relações humanas no ambiente do trabalho. A depressão, por exemplo, não acomete apenas servidores, mas também para os próprios magistrados, por isso é fundamental essa pauta de debate, finalizou Souza.

O médico do trabalho Luiz Carlos Fadel, pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz, destacou que o ambiente do trabalho é o que mais tem adoecido as pessoas, e segundo ele, os trabalhadores estão sendo expostos, sendo necessário ações integradas envolvendo inclusive o Sistema Único de Saúde (SUS), obtendo, assim, resultados mais promissores e eficazes com relação à saúde do trabalhador.

Ao final o juiz do trabalho Vitor Yamada agradeceu as entidades e representações presentes e ressaltou que “juntos será possível promover ações concretas”. Yamada ressaltou a fala do professor e pesquisador, para não ficar apenas vendo números, “precisamos atacar a causa para então acabar com as consequências. O trabalhador é uma parte da engrenagem, a outra é o próprio empregador, pois isso é fundamental a sensibilização de todos”.

O evento contou com a participação do Ministério Público do Trabalho de Rondônia e Acre – MPT14, Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rondônia – OAB/RO, Associação Rondoniense da Advocacia Rondoniense – Aronatra; Associação dos Magistrados do Trabalho da 14ª Região – Amatra14; Ministério do Trabalho e Emprego – MPE; Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST/RO; Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal de Rondônia e Acre – Sindijufe; Federação do Comércio do Estado de Rondônia – FECOMÉRCIO; Sindicato dos Bancários de Rondônia – SEEB/RO, além de representante do Sindicato dos Empregadores no Comércio e Bens de Porto Velho – SINDECOM.

O Ato Público teve transmissão ao vivo pelo Instagram @trtroac. Na sequência foi realizado o Seminário de Encerramento do Curso de Multiplicadores em Vigilância em Saúde do Trabalhador de Rondônia e Acre promovido pelo Cerest/RO. Na oportunidade os alunos apresentaram resultados de atividades realizadas durante o curso realizado.

Na próxima sexta-feira (31/8), às 8h30min, será realizado o Ato Público sobre o mesmo tema, no Fórum Trabalhista juiz Oswaldo de Almeida Moura, na cidade de Rio Branco, Capital do estado do Acre e terá a participação de diversas entidades governamentais e não governamentais presentes, além da sociedade civil organizada.

Envie sugestões,denúncias ou notícias para: (69) 9 99426406