SEM FÉRIAS: Aleks Palitot verifica demandas de zonas periféricas

FOTO: (Assessoria)

Aproveitando o recesso parlamentar o Professor Aleks Palitot otimizou o tempo de sua agenda para verificar in loco as necessidades dos moradores dos bairros periféricos de Porto Velho. Muitos dos pedidos feitos ao vereador advertem para os transtornos causados pelo período de inverno amazônico.

A participação popular é uma das principais características de sua gestão e uma das estratégias adotadas é o atendimento célere dos assessores a estas demandas. Na última semana, do dia 08 ao dia 15 de janeiro, mais de 150 solicitações foram enviadas ao gabinete.

A catalogação, filtragem e rápida resposta é um diferencial. Segundo o vereador não se trata de inventar a roda, mas de apenas cumprir o papel para o qual foi eleito. “Fui escolhido para ser representante do povo e fiscalizar o trabalho do Executivo que é quem faz as ações”, esclarece o vereador.

O primeiro ponto a ser visitado foi o cruzamento da rua Sobral com rua Buquê, no bairro Lagoa, Zona Leste, onde a chuva da noite de terça feira (09) impossibilitou como em outras vezes a passagem de veículos e pedestres.

Carro alagado

Dois pedidos já haviam sido encaminhados no ano de 2017 para a Semob solicitando da Secretaria as devidas providencias, porém até o momento os munícipes não haviam sido atendidos. De acordo com Donald, morador da Rua Buquê com Ana Caucaia, são mais de duas décadas que o buraco está na mesma situação.

Situação semelhante aos moradores da Rua Henrique Valente com Rodrigo Alves, no bairro Três Marias, Zona Leste de Porto Velho. Segundo seu Francisco Tavares da Silva, morador há mais de vinte anos, “este é um problema que sempre tentamos resolver, mas infelizmente não tivemos solução pra essa rua aqui. Precisamos muito de resolver isso porque a situação é precária”, lamenta seu Francisco.

 

Dona Francisca, companheira de seu Francisco, conta que desde que se mudou em 99 a situação do bueiro se encontra a mesma. “Esses anos todos sofrendo com alagamento e descaso dos gestores”, conta a munícipe que acompanhou junto com o vereador Professor Aleks Palitot a vistoria do Secretário da Semisb João Chrisóstomo realizada no sábado (13).

Marcos Freire

José Raimundo Santos Filho, morador da rua Esdras Shockness, bairro Marcos Freire lastima a situação. “Estamos totalmente esquecido pelo poder público. Se você olhar bem a nossa rua vê as condições em que se encontra, além disso as casas não possuem número e nem CEP e por isso não podemos nem receber correspondência”, conta.

 

Sem saneamento básico e água tratada os moradores nessa época ainda enfrentam as chuvas. As aguas empossam nas ruas devido a falta de sistema de drenagem impedindo em muitos casos os moradores de saírem de casa, quando não acabam tendo a casa alagada nos casos que as ruas devido ao encascalhamento acabaram com um nível acima das casas.

Situação mais complicada enfrentam os moradores do Conjunto Candelária II, no bairro Marcos Freire, a maioria destes moradores são idosos e portadores de necessidades especiais que tem dificuldades multiplicadas devido as restrições físicas. De acordo com Carlos Santos, morador da rua Nilton Azevedo, “é um absurdo a situação toda vez que chove”, se indigna.

 

Devido aos buracos dois caminhões já tombaram no local, fora os carros pequenos que atolam. “Já cansei de ir na Semob e ninguém resolve nada, só promessas e entra inverno, sai inverno e a desesperança é de que vai terminar o mandato dele e a nossa rua continua desse jeito aqui”, lamenta o pensionista.

Zona Sul

Na Zona Sul da Capital os problemas se repetem, moradores do Jardim Eldorado II alertam para a situação na Rua das Camélias entre as ruas Pau Ferro e Araras. “Quando chove ficamos praticamente ilhados, sem consegui nem sair de casa por causa da água que empossa”, conta Ricardo

Na sexta-feira (12), o vereador e sua equipe visitaram também o bairro Castanheira, onde verificaram as demandas nas ruas Violoncelo e Guitarra. Um pedidos para manutenção, drenagem e encascalhamento, já havia sido encaminhado em 12 de dezembro pelo gabinete à Subsecretaria Municipal de Obras e Pavimentação (Suop).

 

“O vereador está fazendo a obrigação dele de cobrar e fiscalizar, já é uma grande vantagem porque o Aleks e sua equipe apareceram aqui. Nós agradecemos muito o ato de vocês terem vindo e mostrar o que nós vivemos aqui na periferia de Porto Velho”, agradece seu Carlos Santos.