RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, quinta, 24 de junho de 2021.



Jurídicas

Transferência de combustível de Rondônia para Zona Franca de Manaus é imune à tributação de ICMS


Compartilhe:

Publicado por

em

Gasolina

Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Os magistrados da 2ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia reformaram a sentença do juízo da causa e anularam três autos de infração lavrados pelo fisco do Estado de Rondônia contra a empresa Petróleo Sabbá S/A. As multas foram aplicadas sobre a transferência de combustíveis do Estado de Rondônia para a Zona Franca de Manaus.

Relacionadas:

TJRO realizará concorrência eletrônica para retomada da obra do novo Fórum da Comarca de Vilhena


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Justiça permite a teen de 15 anos atuar na liga profissional feminina dos EUA

TJRO prorroga Ato Conjunto que garante medidas restritivas em função da pandemia

Os autos de infrações foram gerados, segundo alegação do Estado de Rondônia, porque a empresa que entrou com recurso de apelação “deixou de efetuar o devido estorno do crédito fiscal referente à entrada de mercadoria (álcool hidratado carburante) nas operações de transferência para a Zona Franca de Manaus, configurando, assim, apropriação indevida de crédito fiscal”. As fiscalizações geradoras dos três autos de infração foram realizadas nos períodos de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2006; de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2008; e de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2010.

Porém, segundo o voto do relator, Miguel Monico,  “as remessas de mercadorias para empresas localizadas na Zona Franca de Manaus são imunes à tributação. A matéria, conforme explicou o desembargador, já foi amplamente debatida, decidida e pacificada pela Corte de Justiça de Rondônia, assim como por outros tribunais da Federação”.

De acordo com o voto, equivale, portanto,  para fins de efeitos fiscais, à exportação de produto brasileiro para o exterior, o que permite, como consequência, o aproveitamento dos créditos de ICMS pela empresa apelante.

Acompanharam o voto do relator o desembargador Roosevelt Queiroz e a juíza convocada Inês Moreira da Costa, na sessão de julgamento realizada no dia 25 de maio de 2021.

Apelação Cível n. 7013148-74.2017.8.22.0001

Publicidade

Últimas notícias

Facebook