RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, quinta, 15 de abril de 2021.



Exame

Sem dó de gastar: Magalu faz 5ª aquisição no ano, com foco em superapp


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O Magazine Luiza anunciou, nesta quarta-feira, a aquisição da empresa de tecnologia SmartHint, focada em busca inteligente e recomendação de compra para e-commerce. De acordo com a varejista, o objetivo é torná-la “o motor” de busca do superaplicativo e site do Magalu. Com inteligência artificial, a plataforma permite que os clientes consigam encontrar produtos mesmo que tenham digitado errado, fazer busca por voz, além de encontrar itens por leitura de imagens.

 Quer saber como a inovação pode ajudar o seu negócio? Faça o curso Inovação na prática

Ou seja, com a aquisição, o Magalu dá mais um passo para tornar o aplicativo mais popular em diferentes camadas sociais, permitindo que qualquer pessoa possa fazer buscas pelo app. Além disso, o algoritmo sugere novos produtos a cada busca feita, o que contribui para tornar a experiência mais personalizada em qualquer nicho disponível. Hoje, o aplicativo tem 26 milhões de itens disponíveis, segundo a empresa.

“Com a aquisição, a SmartHint passa a integrar também o pilar estratégico Magalu as a Service (MaaS), oferecendo tecnologia de busca e recomendação de produtos para milhares de sellers conectados à plataforma do Magalu. A aquisição representa mais um importante passo na estratégia da Companhia de  digitalização do varejo brasileiro”, afirmou o Magalu, em nota.

De acordo com o comunicado enviado pelo Magazine Luiza ao mercado, Hoje, a SmartHint atende 1 mil clientes e suas ferramentas geraram R$ 620 milhões em vendas.

Essa é a quinta aquisição que a empresa faz em 2021, focada no desenvolvimento de seu ambiente digital em diversas frentes. Anteriormente, foram adquiridas a VipCommerce, plataforma de supermercados, a ToNoLucro, app de delivery de alimentos prontos, a GrandChef e o site de moda Steal The Look.

A varejista não divulgou o valor da aquisição e afirmou que a operação foi feita pela LuizaLabs, empresa controlada pelo Magalu.

Fonte: Revista Exame