RONDONIA RO
Conectado por

Rondônia, terça, 18 de maio de 2021.



Política

A pandemia saiu de controle e governos sozinhos não conseguirão estancar tanto sofrimento, afirma Confúcio Moura


Compartilhe:

Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

O senador Confúcio Moura (MDB-RO) em sessão remota na terça-feira (30), utilizou a tribuna para lamentar a escassez de vacina e ao mesmo tempo enfatizar que o Brasil está chegando no mês de abril, e as mortes e o colapso do sistema de saúde deverão continuar, com uma previsão de chegar ao final do mês próximos a 400 mil mortos.

O parlamentar afirmou que o sentimento é de impotência diante da tragédia. Segundo ele, a pandemia no Brasil saiu do controle. “Chegamos a um vale-tudo de iniciativas variadas porque instalou-se uma crise verdadeira, sistêmica, e, se pensarmos bem, teríamos de atacar todos os pontos ao mesmo tempo, desde o colapso do sistema de saúde à falta de insumos essenciais e até mesmo dos medicamentos”, lastimou.

Confúcio Moura reafirmou que está morrendo gente de Covid-19 e também por falta de atendimento a outras doenças que necessitam de procedimentos eletivos e urgentes. “É morte sobre morte. O combate à pandemia está agora nas mãos da população. Governos sozinhos não darão conta de estancar tanto sofrimento”.

De acordo com o senador, o plano nacional de imunização do Brasil é um dos melhores do mundo, mas infelizmente não há vacinas disponíveis para imunizar o povo num curto prazo. “Se tivermos vacinas para imunizar em 30 dias a população acima de 60 anos, os dados mostram que haverá uma redução de 20% na ocupação de UTIs”, destacou.

Segundo o parlamentar, até agora só é possível contar com os imunizantes dos Institutos Butantan e Fiocruz, conforme contrato, das vacinas que estão beneficiando os grupos prioritários. Ele lamentou que as outras compras de vacinas terão entregas previstas para o final de 2021.

A situação da pandemia no Brasil está fora de controle, disse o parlamentar, por mais que se queira dizer o contrário. “Cabe ao Senado, em boa hora, ser o agente dessa convocação nacional, através dos prefeitos, dos governadores e da iniciativa privada. As empresas devem ser estimuladas a buscar no mercado esse insumo tão necessário agora. A pandemia está humilhando a todos”, concluiu.

Assessoria de Comunicação

Publicidade

Mais destaques

Facebook