Conectado por

Plural Saúde

Exame

Novo presidente da Câmara ganha influência nas redes sociais


Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

A sólida vitória na eleição à presidência da Câmara ajudou Arthur Lira (PP-AL) a ingressar no ranking dos 20 deputados mais influentes nas redes sociais. O parlamentar subiu 15 posições e chegou a 14º colocação, sendo o destaque da semana entre 2 e 8 de fevereiro. O parlamentar começou a ascender no FSBinfluênciaCongresso somente em dezembro, quando já estava em campanha aberta para presidir a Casa. Até então, Lira tinha posição acanhada nas plataformas on-line, ocupando lugares pouco expressivos no levantamento.

Outro movimento brusco da semana foi do deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), que perdeu oito colocações. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, ele estacionou na 20ª posição. A seu lado, em 19º, ficou Joice Hasselmann (PSL-SP), que também perdeu seis lugares após polêmica participação na festa da vitória de Arthur Lira.


Continua após a publicidade

Os deputados Daniel Silveira (PSL-RJ), em 12º, e José Medeiros (Podemos-MT), em 15º, também tiveram bom desempenho nos últimos dias. Ambos avançaram seis posições. O PSL mantém o domínio do ranking, com seis nomes entre os primeiros colocados. PSol e Podemos vêm em seguida, com dois parlamentares cada um na lista dos mais influentes.

Confira aqui o ranking da Câmara dos Deputados.


Continua após a publicidade

Senado Federal

A intensa postagem nas redes sociais, especialmente no Facebook, garantiu a Eduardo Girão (Podemos-CE) relevância no ranking FSBinfluênciaCongresso. O parlamentar saltou 21 posições e alcançou o 8º lugar no levantamento. Entre suas publicações com mais curtidas estão críticas à condução da pandemia de Covid-19 pelo governo do Ceará e a defesa da prisão em segunda instância, do fim do foro privilegiado para políticos e do impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Renan Calheiros (MDB-AL), que voltou à cena política após dois anos submerso, também subiu cinco colocações e ingressou no topo do ranking em 12º. Nos últimos dias, ele assinou pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde e foi indicado novo líder da Maioria no Senado. Com críticas ao governo Bolsonaro, o senador demonstra querer recuperar o tempo perdido e voltar ao debate público, inclusive nas redes sociais.

Outros movimentos relevantes na semana entre 2 e 8 de fevereiro foram os recuos dos senadores Simone Tebet (MDB-MS) e Rogério Carvalho (PT-SE). Tebet tinha subido no ranking em janeiro, quando seu partido discutia abandonar sua candidatura à presidência do Senado. Após a derrota, a parlamentar perdeu três colocações e estacionou em 15º. O petista também desceu quatro lugares e ficou em 13º. O topo do levantamento continua com Humberto Costa (PT-PE), em 1º; e Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em 2º. Romário (Podemos-RJ) ocupa a 3ª posição nas duas últimas semanas.

Confira aqui o ranking da semana no Senado Federal.

Fonte: Revista Exame

Comentários do Facebook - Comente