Conectado por

Plural Saúde

Exame

Claro pagará R$ 3,7 bi por sua fatia na compra da rede móvel da Oi


Publicado por

em


Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

A Claro informou que pagará o montante de R$ 3,7 bilhões pela sua fatia na compra da rede móvel da Oi, como parte da negociação realizada em conjunto com a TIM e com a Vivo. Ao todo, a transação totaliza R$ 16,5 bilhões. Portanto, a parte da Claro corresponde a 22,4% em termos de desembolsos.

O amanhã está sendo escrito hoje. Você está preparado para escrever o seu? Conheça o curso de inovação da EXAME Academy


Continua após a publicidade

Conforme já comunicado pelas partes, o contrato de compra e venda foi celebrado em 28 de janeiro e, para ser efetivado, passará agora por análise da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A rede móvel da Oi foi segregada em uma unidade produtiva isolada (UPI). Cada uma das compradoras — Claro, TIM e Vivo — comprará ações de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) contendo sua parte dos ativos.


Continua após a publicidade

Relembrando

Com a confirmação do acordo, no fim de janeiro, TIM e Vivo se posicionaram, trazendo a público os possíveis benefícios do acordo. “Essa transação, a partir de sua concretização, trará benefícios aos acionistas da TIM, por meio de geração de receitas e eficiências em virtude de sinergias operacionais, bem como aos seus clientes, em decorrência da melhoria na experiência de uso e qualidade do serviço prestado e, finalmente, ao setor como um todo em razão do reforço da capacidade de investimento, inovação tecnológica e competitividade”, disse a TIM.

A Vivo também destacou em fato relevante que a operação deve trazer benefícios aos acionistas da companhia através de geração de receitas e eficiências em virtude de sinergias operacionais, bem como aos seus clientes, em decorrência do compromisso com a excelência na qualidade do serviço prestado. Para o setor como um todo, destaca, trata benefícios em razão do reforço na capacidade de realizar investimentos e criar inovações tecnológicas de maneira sustentável, contribuindo para a digitalização do País.

Fonte: Revista Exame

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook