Conectado por

Plural Saúde

G1

Construção das pontes de concreto na BR-425 começam em maio, diz Dnit


Publicado por

em


Segundo o Dnit, previsão de conclusão das obras é de 3 anos. Pelo menos 50 empregos diretos serão gerados com a construção. Construção das pontes de concreto na BR-425 começam em maio, diz Dnit
Fabiano do Carmo
Nesta semana, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) publicou uma ordem de serviço para execução das obras de construção das pontes de concreto sobre os rios Araras e Ribeirão na BR-425, zona rural de Nova Mamoré (RO), a pouco mais de 300 quilômetros de Porto Velho. Com a construção, pelo menos 50 empregos diretos serão gerados.
Patrimônio Histórico
Ponte foi construída há 100 anos em Rondônia
Leile Ribeiro
Consideradas patrimônio histórico do estado de Rondônia, as pontes metálicas sobre os rios Araras e Ribeirão foram criadas durante a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM) há mais de 100 anos e, desde então, ligam os municípios de Guajará-Mirim (RO) e Nova Mamoré com a capital Porto Velho.
Segundo o projeto da empresa responsável, a ideia é manter as pontes centenárias e fazer a construção das novas ao lado e acima 3 metros das antigas.
Em 2019, o Dnit informou que já existia um projeto aprovado para a construção das pontes de concreto. Na época, as obras estariam avaliadas em R$ 20 milhões. Já em setembro de 2020, o órgão havia destacado que a obra das novas pontes estava em fase de licitação e que o resultado deveria ser divulgado em até 30 dias e que a empresa que vencesse a licitação, teria o prazo de 24 meses para executar a obra.
Pontes de concreto na BR 425 devem ser construídas em até 2 anos
No dia 1 de fevereiro de 2021, o Dnit publicou a ordem de serviço para a construção das pontes, anunciando a previsão de conclusão em até 3 anos. De acordo com o departamento, a empresa que venceu a licitação é de Rondônia e concorreu com outras 6 empresas de diferentes estados.
Segundo o projeto, serão feitos serviços de terraplanagem, asfalto, sinalização, drenagem, e recuperação ambiental, podendo gerar cerca de 50 empregos diretos. O investimento para construção das pontes é de R$ 15 milhões.
Período de chuva e cheia
Ponte sob o Rio Araras ficou submersa
Leidy Melo/CBN
Com o período de chuvas na região, os pranchões e dormentes acabam apodrecendo. Além disso, o nível das águas costuma subir, chegando bem perto do nível da ponte entre os meses de novembro e maio, período que corresponde ao inverno amazônico. Por isso, segundo o Dnit, as obras estão previstas pra começarem no mês de maio, após o período chuvoso.
Na cheia histórica de 2014, o rio Araras transbordou e cobriu a ponte, deixando Guajará-Mirim e Nova Mamoré isoladas das demais cidades de Rondônia.
*Beatriz Galvão, estagiária do G1 RO, sob supervisão de Thaís Nauara.
Veja mais vídeos do G1 Rondônia

Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook