Conectado por

Plural Saúde

G1

Enem 2020: mais de 60 mil inscritos fazem prova neste domingo em Rondônia; em duas cidades exame foi suspenso


Publicado por

em


Primeiro dia do Enem 2020 teve candidatos que reforçaram a proteção contra o coronavírus. Espigão D’Oeste e Rolim de Moura adiaram a aplicação. Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em Rondônia, participam neste domingo (17) do primeiro dia de aplicação da versão impressa. Os participantes responderam questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias além de produzir uma redação.
Cerca de 3,8 mil inscritos de duas cidades do estado não fizeram a prova neste domingo após decisão das prefeituras pelo momento crítico da pandemia de Covid-19: Rolim de Moura e Espigão D’Oeste se juntam a outras 56 cidades do Amazonas que não tiveram aplicação do exame. No estado vizinho, a ordem de suspensão veio da Justiça Federal.
FOTOS: Estudantes realizam primeira prova do Enem 2020 em Rondônia
Veja perguntas e respostas sobre as questões judiciais que envolvem a realização do Enem 2020
O Enem em Rondônia acontece durante a vigência de um decreto estadual de isolamento social restritivo em mais da metade dos municípios do estado. O decreto, dentre outras coisas, determina toque de recolher entre 20h e 6h por 10 dias a partir deste domingo.
Segundo o Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 68.659 candidatos tiveram as provas marcadas para esse domingo em Rondônia. Mais de 17 mil candidatos têm 18 ou 19 anos e outros 26,5 mil têm entre 21 e 30 anos.
Candidatas protegidas
Enem 2020 em Porto Velho – Vitória Freitas Texeira, de 17 anos, tentou uma proteção extra para fazer a prova do Enem em Porto Velho. Ela quer cursar medicina.
Vitória Freitas/Arquivo pessoal
A estudante Vitória Freitas Teixeira, de 17 anos, quer cursar medicina e usou um avental e touca descartáveis para diminuir o risco de contágio pelo novo coronavírus durante a prova, em Porto Velho.
A mesma precaução teve a auxiliar de dentista da área indígena Eliene Leoteris, que, por ordem da chefia, se paramentou para fazer a prova em Ji-Paraná.
Enem 2020: Ji-Paraná, RO – Eliene Leoteris da Silva, auxiliar de dentista da área indígena.
Élida Geovana/Rede Amazônica
Também foram registrados episódios de candidatos que confundiram locais de aplicação e tiveram que correr para não perder o exame. Em Porto Velho, uma jovem chegou de moto na Escola Estadual 4 de Janeiro, cerca de 15 minutos após o fechamento do portão. Ela confundiu o horário com o de Brasília.
Entre as dificuldades relatadas pelos participantes ao G1, CBN Amazônia e Rede Amazônica estava a mudança de rotina por causa da pandemia e suspensão do ensino presencial.
O Enem é considerado o maior vestibular do país, e a nota serve para disputar vagas em universidades e ter acesso a programas de bolsas (Prouni) ou financiamento de mensalidade (Fies).
VÍDEOS: Educação

Continua após a publicidade
Educa Mais Brasil

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook