educamais
Conectado por

Plural Saúde

G1

Rondônia passa dos 50 mil casos de Covid-19 e chega a 1.045 mortes pela doença


Publicado por

em


Estado tem 7,3 mil casos ativos da doença e 41,7 mil recuperados. Dados são da Secretaria de Estado da Saúde. Estrutura do coronavírus tem formato de coroa
Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo
Rondônia ultrapassou a marca dos 50 mil casos de Covid-19 nesta quinta-feira (20), um dia após completar cinco meses do primeiro caso diagnosticado no estado. Só nesta quinta, foram contabilizados mais 426 pacientes contaminados pelo vírus, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).
Também foram registradas oito mortes, chegando a 1.045. Os óbitos foram em:
3 em Porto Velho – sendo um homem de 76 anos e duas mulheres, de 48 e 70 anos;
2 em Vilhena – homens de 68 e 78 anos;
1 em Ariquemes – homem de 74 anos;
1 em Buritis – homem de 77 anos;
1 em Alta Floresta do Oeste- um homem de 65 anos.
Ainda de acordo com a Sesau, foi constatado um caso a menos em relação ao dia anterior no município de Machadinho do Oeste, em decorrência de duplicação de registros.
As cidades com maior número de óbitos registrados são:
Porto Velho – 616
Guajará-Mirim – 78
Ariquemes – 63
Ji-Paraná – 38
Vilhena – 34
Já as cidades com maior número de casos confirmados são: Porto Velho (25.471), Ariquemes (3.971), Guajará-Mirim (2.610), Vilhena (2.327) e Ji-Paraná (1.627).
Também foi informado que o estado tem:
41.786 pacientes recuperados
7.316 casos ativos
356 pacientes internados
153.591 testes realizados
507 aguardando resultados dos exames no Lacen
Na quinta-feira (20), dos 214 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adultos disponíveis na rede pública do estado, 141 estavam sendo utilizados, o que representa uma lotação de 65,9%.
A macrorregião II, que atende municípios do centro-sul do estado e engloba os hospitais de Cacoal, Vilhena e São Francisco do Guaporé, apresenta uma ocupação de 78,7% com dez leitos disponíveis, sendo oito em Vilhena. O Hospital Regional de Cacoal (HRC), que é referência para o tratamento da doença, não tem leitos disponíveis.
Initial plugin text

Continua após a publicidade

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente
Continuar leitura

Publicidade

Mais destaques

Facebook