Conectado por

Plural Saúde

G1

Semusa diz que vai ampliar leitos para atender pacientes do coronavírus em Porto Velho


Publicado por

em

Continua após a publicidde:
Em coletiva, secretária falou sobre plano de estratégia para atendimento à população de Porto Velho no combate ao novo coronavírus Após ‘sobrecarga’ nas unidades de saúde de Porto Velho, Semusa pede colaboração
Com a evolução de casos do novo coronavírus em Porto Velho, a Secretária de Saúde do Município (Semusa) anunciou que vai ampliar o número de leitos nas unidades de saúde da rede municipal. O objetivo é atender pacientes infectados pelo vírus.
Durante uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (20), a secretária Eliana Pasini destacou a preocupação com os infectados pela Covid-19 na capital.
“Estamos vivenciando uma população angustiada e preocupada que busca atendimento na unidades de saúde. O município está se organizando para atender a população. Estamos aumentando os números de leitos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA)”, afirmou.
A secretária destacou que os leitos de observação estão disponíveis em todas as Upas da cidade. Na Maternidade Municipal Mãe Esperança (MMME) há leitos específicos para pacientes com a Covid-19.
Durante a coletiva, a secretária adjunta de saúde, Marilene Penati, ressaltou sobre o atendimento oferecido via call center da capital. Ela afirmou que o número de pessoas buscando orientações por estarem com sintomas do novo coronavírus tem sido grande.
Por causa da demanda, segundo Marilene, está se formando uma espécie de ‘fila’ na linha telefônica.
“Em uma consulta presencial o médico analisa e vê o paciente. Mas uma consulta por telefone demora bem mais, por isso estamos fazendo uma fila para que os pacientes tenham seus contatos retornados, respeitando a prioridade para aquele paciente que apresenta alguma comorbidade”, afirma.
CEM
Outro ponto destacado por Marilene é a busca da população para fazer exames no Centro de Especialidades Médicas (Cem).
” Os atendimentos aumentaram. As pessoas buscam ir até o Cem pela ânsia de fazer o exame, mas é preciso seguir todo um esquema. O fator ouro a ser destacado sobre essa doença é a questão respiratória”, detalha.
Marilene ainda ressalta que em casos leves da doença, o paciente deve procurar as unidades de saúde da capital.
“Todos passaremos pelo vírus. A diferença é que 80% das pessoas não sentirão sintomas. As Upas estão atendendo pacientes com a doença. Então, quem tiver algum sintoma, busque as unidades de saúde”, afirma.
Initial plugin text

Fonte: G1 Rondônia

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook