Conectado por

Plural Saúde

Nacional

NOTA DE REPÚDIO ao presidente Bolsonaro, governador Marcos Rocha e aos empregadores que colocam as vidas dos empregados em risco


Publicado por

em


Continua após a publicidade

A Central Única dos Trabalhadores (CUT-RO) vem a público externar sua profunda indignação e repúdio às autoridades, como Bolsonaro, Marcos Rocha e Fernando Máximo secretário de Saúde, que minimizam os ricos da pandemia mundial do coronavírus e priorizam a economia em detrimento da vida dos trabalhadores e da população em geral; bem como, aos empresários que pressionam pela suspensão da quarentena a qualquer custo.

Não se trata de ideologia, de ser situação ou oposição e sim de uma questão sanitária de extrema gravidade, uma pandemia que está atingindo duramente inúmeras nações como Itália, Espanha e os Estados Unidos que neste dia 26/03 se tornou o epicentro da grave crise com 82 mil infectados, superando o número de infectados da China.


Continua após a publicidade

Qual a principal medida adotada em todos os países? O isolamento social, excetuando somente as atividades essenciais como saúde, segurança pública, alimentação, combustíveis, energia, água, dentre outras. A Índia colocou esta semana toda a sua imensa população, de mais 1 bilhão e 300 milhões de habitantes, em quarentena.

Seria razoável supor que Bolsonaro, Marcos Rochas e Fernando Máximo são os três únicos iluminados do Planeta, contrariando posições adotadas até por outras lideranças mundiais de extrema-direita, a contragosto é verdade, como Trump dos EUA e Boris Johnson da Inglaterra, que defendem o mesmo ideário de Bolsonaro & Cia?

Logicamente é mais crível dizer que se trata de três autoridades irresponsáveis, fracas, titubeantes, que dão informações contraditórias, edita medidas para logo em seguida revogar/flexibilizar, confundindo a população sobre a real gravidade do coronavírus, aumentando os riscos de um imenso número infectados, que irá sobrecarregar o já combalido sistema público de saúde.

É de se repudiar, igualmente, a pressão que os empresários fazem para que as medidas de isolamento social sejam flexibilizados, sem qualquer critério ou estudo, contrariando a quase totalidade dos outros 26 Estados e Distrito Federal. Qual a urgência de se liberar escritórios de contabilidade e conveniências em postos de combustíveis secretário Fernando Máximo e governador Marcos Rocha?

Por fim, não se pode ignorar, por evidente, que as empresas e empregos precisam ser preservados, mas não é indo na contramão do que o mundo civilizado está fazendo que alcançaremos este objetivo. Manchete deste dia 26/03 no G1/Globo: “Grupo dos 20 países mais ricos diz que vai injetar US$ 5 trilhões na economia para superar efeitos coronavírus”. Os governos, Federal e Estadual, já decretaram Estado de Calamidade e tem todos os instrumentos legais para tomar medidas semelhantes a que outros países estão tomando.

Porto Velho-RO, 26 de março de 2020.

A Direção da CUT-RO.

 

Comentários do Facebook - Comente

Publicidade

Mais destaques

Facebook