Connect with us


Saúde

Pressão alta aos 30 aumenta as chances de demência na velhice

Published

on

Se você está na casa dos 30 e recebeu diagnóstico de pressão alta, é bom ficar atento. De acordo com uma pesquisa da University College London, ser hipertenso nessa idade aumenta o risco de declínio cognitivo e demência no futuro. O estudo foi publicado na revista Lancet Neurology.

A pesquisa foi feita a partir dos dados de 500 pessoas. Os cientistas avaliaram informações de participantes nascidos em 1946 que estavam tendo pontos de saúde monitorados há anos, entre eles a pressão arterial e as funções cerebrais dos indivíduos.

Os resultados dos exames mostraram que os participantes que eram hipertensos ou estavam com a pressão alta aumentando na faixa etária entre 36 e 53 anos apresentaram uma diminuição no volume cerebral aos 71 anos. Eles também apresentaram maiores lacunas na chamada substância branca do cérebro, área responsável por transmitir informações entre os neurônios no sistema nervoso central. O trabalho científico comprova que os danos causados pela pressão alta começam a afetar o organismo décadas antes dos primeiros sintomas aparecerem.

De acordo com o Ministério da Saúde, 24,7% da população brasileira é hipertensa. A pesquisa Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2018)mostrou, ainda, que, em 2018, 60,9% dos entrevistados com idade acima de 65 anos disseram ser hipertensos, assim como 49,5% na faixa etária de 55 a 64 anos. Em 2017, quase 389 pessoas morreram devido à hipertensão.

A hipertensão é uma doença crônica que não tem cura. Muitos não sabem que têm a enfermidade, que é silenciosa e perigosa. Os sintomas só se manifestam quando a pressão do paciente está alta demais. Quando não tratada, a condição pode causar infarto, derrame ou comprometimento renal. Entre os principais sintomas, estão, tonturas, visão turva ou falta de ar durante as crises.

O tratamento para pressão alta pode ser feito com a ingestão diária de medicamentos anti-hipertensivos e muita hidratação. Além disso, é necessário fazer uma alimentação com pouco sal e gordura, indicada pelo nutricionista, e praticar exercícios físicos regulares.