Conectado por



Plural Saúde

Política

Deputado Lazinho da Fetagro pede recuperação de pontes na RO-420

Publicado por

em

Produtores de Nova Mamoré e Buritis estão enfrentando dificuldades no escoamento de suas produções

O deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT) reivindicou do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços públicos (DER), recuperação de três pontes localizadas na RO-420, que interliga os municípios de Nova Mamoré e Buritis.

Segundo informações apresentadas ao deputado, pelo vereador de Nova Mamoré, André do Sindicato (PT), em nome da população, as pontes estão em condições precárias e de risco para a trafegabilidade.

A situação tem prejudicado principalmente os agricultores e produtores de gado da região na comercialização.  Isso, porque a RO-420, também conhecida como Linha Eletrônica, é o principal acesso a outros municípios do interior, e por onde trafegam os caminhões de frigoríficos vindos, por exemplo, do município de Ji-Paraná para o transporte do rebanho comercializado com produtores da região.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

“A dificuldade de acesso, especificamente pelas condições em que as pontes se encontram vem ocasionando sérios transtornos aos produtores, já que faz com que os frigoríficos não se arrisquem a ir comprar gado naquela região justamente pela distância, pois ir pelas pontes é inviável, e, por outra rota, tem-se o aumento de mais de 500 km, o que inviabiliza a logística e o acesso dos frigoríficos e, consequentemente, prejudica os produtores”, relata o deputado.

O deputado ressalta que um dos maiores problemas do produtor é a dificuldade no escoamento de suas produções, e que a situação dos moradores de Nova Mamoré e região está preocupante. “Com a atenção do DER, se estará dando condições aos produtores para, especialmente, negociar suas produções e não permitir que continuem tendo prejuízo; bem como trará segurança para toda população que necessita daquela estrada”, observou.

Foto: José Hilde-Decom-ALE-RO

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

 

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------
DJ90.COM.BR WEBRÁDIO

Continuar leitura

Política

Deputado Anderson quer reforço no estoque de sangue da Fhemeron durante pandemia de coronavírus

Publicado por

em

Por

Parlamentar pede que a Sesau garanta as condições adequadas para que as doações possam ocorrer

O deputado estadual Anderson Pereira (PROS), solicitou informações à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), quanto as medidas adotadas pela Fundação de Hematologia Homeopatia de Rondônia (Fhemeron), para que não haja falta de bolsas de sangue, nesse período delicado que o Estado atravessa com a pandemia do Coronavírus Covid-19.

A preocupação do deputado Anderson Pereira se dá por conta do risco de contaminação devido à propagação do vírus, que já matou milhares de pessoas em todo mundo e nos últimos dias vem assombrando o povo rondoniense com grande quantidade de pessoas suspeitas, dentre elas sete confirmadas.

O parlamentar teme que o risco de contaminação do Coronavírus afaste os doadores frequentes da fundação, o que resultaria em uma possível escassez de bolsas de sangue em todo Estado. Anderson Pereira aponta que diante da pandemia do Covid-19, a Fhemeron intensifique meios de garantir a regularidade nas doações, passando segurança aos doadores, afastando riscos de contágio durante as transfusões.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

Para que não haja evasão de doadores, o deputado ressalta a importância de orientações e dos seguintes cuidados: distribuição de álcool em gel, máscaras, higienização constante em maçanetas, corrimãos e cadeiras, manter o distanciamento das pessoas e adotar campanhas convidando pessoas saudáveis, que não apresentem sintomas de qualquer doença.

A doação de sangue é um ato voluntário, que pode ajudar a salvar muitas vidas. Em cada doação, uma pessoa doa no máximo 450 ml de sangue e essa única doação pode salvar até quatro pessoas.

Foto: Assessoria

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

 

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------
DJ90.COM.BR WEBRÁDIO

 

Continuar leitura

Política

Deputado Alex Silva defende acesso a atos religiosos, como auxílio social e espiritual à população

Publicado por

em

Por

Parlamentar apresentou projeto de lei para preservar a liberdade de crença, mesmo com a decretação do estado de calamidade pública.

O deputado Alex Silva (Republicanos), juntamente com todos deputados da Assembleia Legislativa, protocolou o Projeto de Lei que solicita ao Executivo, o acesso a atos religiosos, como direito à liberdade de crença, a todos os cidadãos do Estado de Rondônia, suspenso em razão da pandemia de coronavírus, após o decreto de estado de calamidade ter entrado em vigor.

“Ressalte-se que em diversas vezes, tais templos de qualquer culto, podem servir como ponto de apoio fundamental às necessidades da população, haja vista, que em diversos momentos o próprio poder público pode utilizar tais estruturas, sendo que o tem acontecido, inclusive em alguns estados”, completou o parlamentar.

Ainda segundo o deputado, “atualmente, o caso de infecção da população pela doença denominada Covid-19, serve de exemplo da atuação dessas instituições, que têm auxiliado de forma incontestável não somente na assistência espiritual, mas também social e até psicológica, posto que o confinamento a que as pessoas são submetidas, pode até mesmo, causar-lhes depressão e aumento de violência conjugal”.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

Desta forma, o Projeto de Lei visa suprir uma lacuna existente no ordenamento jurídico do Estado de Rondônia, e a presente lei não traz menção sobre situações extremas, como decreto de estado de sítio (art. 137 CF) nas quais o Estado, pode obrigar que pessoas permaneçam em localidades determinadas e que não participem de reuniões, ainda que de natureza religiosa, e sim, o que se trata na presente lei são hipóteses de calamidade pública decretada, cujos direitos fundamentais tem obrigação de serem preservados.

“Neste período de crise que estamos passando e até de desespero para muitas pessoas, as atividades desenvolvidas e o auxílio social e espiritual oferecidos pelas instituições religiosas são essenciais e fundamentais, um porto seguro e muitas vezes um refúgio para a população. É claro que, concordamos que algumas regras devem ser obedecidas para continuar combatendo a pandemia do Covid-19”, relatou o parlamentar.

Assim, em virtude da relevância do tema para a sociedade e tendo em vista que o Estado de Rondônia tem 70% da sua população cristã evangélica, bem como, da necessidade imperiosa de preservar direitos fundamentais, mesmo em épocas de decretação de calamidade pública.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

Agora, o projeto segue para apreciação dos nobres parlamentares, e sendo aprovado, segue para sanção governamental.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------
DJ90.COM.BR WEBRÁDIO

Foto: Assessoria

 

 

Continuar leitura

Política

Presidente Laerte Gomes cobra fiscalização do Procon nos supermercados

Publicado por

em

Por

Parlamentar recebeu uma série de denúncias sobre abusos de preços em Rondônia

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) cobrou o empenho do Procon (Agência de Defesa e Proteção do Consumidor) para realização de diligências nos supermercados de todo Estado para coibir abusos nessa época de pandemia do novo Coronavírus. Segundo denúncias levadas ao parlamentar, os preços de alimentos básicos estão subindo vertiginosamente, sem motivo aparente porque a logística não foi atingida pela crise.

Em Cacoal, o preço do arroz disparou. O produto, cuja marca é procedente de Rondônia, subiu de R$ 13,00 para R$ 16,00 em Cacoal e Porto Velho. “Não podemos permitir que haja aumento abusivo dos preços”, defendeu o presidente da Assembleia Legislativa.

Na semana passada, o Procon fez fiscalizações junto com a Polícia Civil em farmácias e supermercados para aferir os preços do álcool em gel e máscaras de proteção. Alguns estabelecimentos foram atuados porque estavam com preço dobrado dos produtos. Para Laerte, aumentar os preços em época de crise é um crime e deve ser punido pelas autoridades judiciárias. “O Ministério Público precisa agir e a polícia também. Precisam prender o mau empresário que aumenta preço de comida quando as pessoas estão em pânico com essa doença”, asseverou.

------- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -------

 

Continuar leitura

Publicidade

Apostas Esportivas Online Betway
Plural Saúde

Educa Mais Brasil

Mais destaques

Facebook

WhatsApp chat