Conectado por


Polícia

15 detentos são mortos durante briga em complexo penitenciário

Publicado por

em

Quinze detentos foram mortos no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus durante uma briga entre internos, na manhã deste domingo (26), de acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), coronel Marcos Vinícius Almeida. As mortes aconteceram durante as visitas dos familiares, que presenciaram a ação. Por medida de segurança, as visitas foram suspensas.

O secretário falou em coletiva de imprensa, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no início da noite deste domingo, como teria acontecido a briga registrada no Compaj. Segundo ele, o fato começou por volta das 11 horas, durante a visita das famílias dos internos. Foram registradas dez mortes no pavilhão 5 e cinco mortes no pavilhão 3 da unidade. “Houve uma briga interna entre os presos. Houve 15 mortes, algumas delas ocorreram por asfixia e outras foram por perfurações pelo uso de estoques, nesse caso, feitos com escovas de dente”, disse.

Após o início da confusão, o diretor do presídio acionou o Grupo de Intervenção Penitenciária, que conseguiu conter a situação em menos de 40 minutos, de acordo com o responsável pela Seap. Os familiares dos internos foram liberados em seguida.

“Não houve vítimas que não fossem internos. Nunca havia tido mortes em dias de visita. Essa é uma regra do crime: você não mata quando tem visita. Foi a primeira vez que isso aconteceu no Amazonas. É um fato incomum”, afirmou o coronel Almeida.

Conforme o secretário, os familiares presenciaram o fato, mas ninguém ficou ferido ou foi feito como refém. Alguns internos morreram dentro de celas que estavam trancadas. Ou seja, que não estavam recebendo visitas neste dia. “Não houve fugas. Não houve subida em telhado, como algumas pessoas chegaram a relatar. Houve apenas essa briga interna. Em seguida, a Polícia Militar entrou e retomou a situação”, esclareceu.

De acordo com o coronel Almeida, a Seap deve abrir uma investigação para apurar o que teria motivado as mortes. “Agora, nós iremos identificar todos os que participaram dessas mortes. Este processo será passado à Justiça, que tomará as devidas providências. Nós vamos tomar medidas de segurança. As visitas serão suspensas”, finalizou.

Lista de detentos mortos:

Ancelmo Pereira dos Santos, 39

Antonio Xavier da Silva Camargo filho, 42

Cleison Silva do Nascimento, 25

Edney Sandro Sabóia de Vasconcelos, 36

Elisson de Oliveira Pena, 26

Erick Weslley Martins Mendes, 25

Fernando dos Santos Ferreira, 27

Francisco de Assis Marcelo da Silva, 34

Hiel Lucas Miranda da Silva, 29

Igor Peres de Oliveira, 21

Leonardo Queiroz Campelo, 31

Naelson Picanço de Oliveira, 32

Nayan Serrão Pereira, 31

Pedro Paulo Melo Xavier, 25

Rodrigo Oliveira Pimentel, 29