PublicidadeDJ90

Entre os dias 12 a 15 de maio o Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Ji-Paraná, foi submetido a uma avaliação do Ministério da Educação (MEC) para reconhecimento de curso e recebeu conceito máximo, ou seja, nota 5, em uma escala de 1 a 5.

A avaliação in loco é um processo regulatório realizado pelo INEP para verificar a regularidade e a qualidade dos cursos de graduação ofertados. A partir dele, a instituição pode emitir regularmente os diplomas para os concluintes. Nesse procedimento, são avaliadas três dimensões, a partir das quais é gerado o Conceito de Curso (CC), graduado em cinco níveis, cujos valores iguais ou superiores a três indicam qualidade satisfatória. O curso do Campus Ji-Paraná foi avaliado em três dimensões: organização didático-pedagógica (conceito 5), corpo docente (conceito 4,8) e infraestrutura (conceito 4,5), totalizando como conceito final a nota 5.

O relatório emitido pelo Ministério da Educação destaca avaliações positivas sobre o curso e sobre a instituição como um todo. “A IES [Instituição de Ensino Superior] possui uma organização pedagógica muito satisfatória e coesa em virtude do excelente quadro de técnicos administrativos, docentes, dirigentes e direção comprometido com a qualidade da educação. […] Os docentes do IFRO que atuam no Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas são capacitados […] e a maioria possui experiência no mercado de trabalho, o que auxilia no processo de ensino-aprendizagem dos alunos, tanto no incentivo à aprendizagem do aluno quanto nos exemplos de vivências de trabalho trazidos para dentro da sala de aula. Os docentes demonstraram estar satisfeitos com o tratamento recebido dentro da IES, com capacitação e formação acadêmica em especialização, mestrado e doutorado. Além dos incentivos à produção científica, por meio de custeio a publicações e eventos científicos”.

Para o Reitor do IFRO, Uberlando Tiburtino Leite, a nota máxima obtida pelo curso de ADS do Campus Ji-Paraná, assim como as notas conquistadas pelos cursos de ADS dos Campi Vilhena e Porto Velho Calama, reforça o trabalho de qualidade que o Instituto Federal de Rondônia vem desempenhando no estado. “Mostra que, apesar das limitações orçamentárias e de pessoal, temos tirado do papel o objetivo institucional, reforçando nosso papel social, pois o IFRO foi criado para ofertar educação pública, gratuita e de qualidade e esse resultado, de uma avaliação independente realizada pelo Ministério da Educação, vem confirmar o empenho dos nossos servidores e da nossa instituição. Estamos muito felizes, principalmente em um momento em que estamos nos reafirmando como instituição pública, momento em que estamos batalhando pelos recursos que o IFRO tem direito, em razão do seu crescimento, justamente para não deixarmos cair a qualidade do ensino do Instituto Federal. Hoje o IFRO tem uma evasão baixa, conta com uma eficiência acadêmica alta, e as notas dos nossos cursos confirmam justamente isso. Os projetos que temos desenvolvido nas áreas de pesquisa, ensino e extensão têm possibilitado aos nossos alunos uma educação de qualidade, e esperamos que essa qualidade seja mantida”, explica o gestor.

A Diretora-Geral do Campus Ji-Paraná, Letícia Carvalho Pivetta, destaca que a nota máxima no curso de ADS representa a consolidação de um trabalho que vem sendo desenvolvido por servidores e alunos ligados à graduação e a certeza de que o Instituto Federal de Rondônia está proporcionando à sociedade um retorno adequado dos recursos recebidos. “Com essa nota temos a comprovação que o trabalho realizado pelo IFRO é de excelência. Atendemos a todos os critérios exigidos e fomos além. A principal contribuição para a sociedade é que nós estamos colocando no mercado de trabalho profissionais excelentes que vão contribuir para o desenvolvimento da nossa sociedade, inseridos num contexto social e tecnológico do país”, afirma a gestora, acrescentando que o desafio agora é “[…] manter a excelência, pois na área de informática o que vale hoje, ou o que hoje é bom, amanhã já está defasado. Então é não perder o ritmo e estar sempre melhorando, principalmente porque se trata da área de tecnologia, cujo desenvolvimento está cada vez mais acelerado”.

O Coordenador do Curso, Michel Silva, comenta sobre o conceito conquistado na avaliação do MEC, e ressalta que o processo de avaliação deve ser compreendido como o momento para evidenciar as boas práticas adotadas ao longo dos últimos anos, nos três pilares institucionais: ensino, pesquisa e extensão. “A avaliação permite o reconhecimento do trabalho árduo de toda a equipe do Campus Ji-Paraná, em especial da Coordenação do Curso, professores do ADS e dos alunos da graduação. É importante salientar a participação efetiva dos nossos alunos nas aulas, nos projetos de pesquisa e nas atividades de extensão, premiados em eventos como a Startup Weekend 2018, Startup Weekend Agrotech 2019, Campus Party 2019 em São Paulo e Rondônia. Fico grato pela oportunidade de coordenar uma equipe dedicada em fazer história na educação tecnológica na região central do estado de Rondônia. Agradeço aos grupos de pesquisa por oportunizar aos nossos alunos o uso da tecnologia para resolução de problemas nas ciências agrárias, matemática e sociais. Desse modo, preparamos nossos alunos para o mercado de trabalho”, ressalta o docente.

Acadêmicos

 Pedro Junior Rocha Brito, acadêmico de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Campus Ji-Paraná, relata estar satisfeito com o conceito que o seu curso conquistou na avaliação realizada pelo MEC. “Achei sensacional, pois esse resultado é fruto de muito esforço por parte da coordenação, dos professores, dos técnicos e dos alunos. Sinto muito orgulho de compor este grupo. Ji-Paraná está de parabéns por ter uma instituição superior que conseguiu tirar a única nota máxima do estado, dentre as universidades públicas e particulares. Isso vai ajudar muito na divulgação da instituição e do curso de ADS”, diz.

Cursando o 5º período, o estudante Ewerton Cardoso Tavares Pereira Silva relata que vive um sonho a cada dia, ao sair de casa deixando esposa e filha, para aprender o que gosta de fazer. “Receber a nota máxima pelo MEC em nosso curso me faz acreditar ainda mais que cada esforço vale a pena. Sou eternamente grato a essa instituição e à equipe de docente que nos ajudou a chegar a esse maravilhoso resultado. O meu sentimento hoje se resume em gratidão”, agradece.

Egressos

Diego Souza Bezerra Veloso, egresso do Curso Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e do Curso Técnico Subsequente em Informática, ambos ofertados no Campus Ji-Paraná, atualmente é Coordenador de Gestão da Tecnologia da Informação na unidade e conta que “[…] é difícil, em poucas palavras, expressar a alegria e o orgulho que sinto em saber que sou egresso do curso de ADS recém-avaliado com nota 5 pelo MEC, a maior nota que um curso pode conseguir, quanta honra! Essa nota reflete a excelência e o zelo de todos os servidores docentes e técnico-administrativos que são totalmente comprometidos com o ensino de qualidade que ofertamos. Minha história com o IFRO é baseada em muita gratidão e respeito.  Iniciei nesta instituição em 2011 no Curso Técnico em Informática subsequente, em 2013, ainda fazendo o curso, fui aprovado em primeiro lugar no concurso público para vaga de Técnico de TI. No ano de 2015, fui nomeado para exercer a função de Coordenador de TI, a qual ocupo até os dias atuais. Em 2016 ingressei no curso de ADS e o concluí no final de 2018, tendo minha colação de grau realizada a poucos dias. Agradeço a Deus e ao IFRO, pois posso dizer com toda certeza que a educação transforma vidas. O IFRO é uma fábrica de realização de sonhos!”.

A egressa Heloise Alves Morales não esconde a felicidade em saber que o curso em que se formou obteve a nota máxima de reconhecimento pelo MEC. “Essa nota faz com que nosso certificado tenha um grande reconhecimento no mercado de trabalho, e faz com que o curso cresça cada dia mais e as pessoas passem a ter mais credibilidade na instituição. Tenho certeza que o curso ainda irá evoluir mais e continuará sendo referência dentro do estado de Rondônia. Agradeço ao IFRO por me proporcionar a oportunidade de obter esse conhecimento que sempre quis a partir da oferta desse curso, e hoje poder fazer parte dessa conquista. Parabenizo todos os envolvidos que fizeram com que o curso pudesse alcançar essa nota máxima!”, fala.

Sobre o Curso

 O Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Campus Ji-Paraná foi criado em 2016 pela Resolução 19/CONSUP/IFRO, de 10 de maio de 2016. Oferta 40 vagas anuais e tem duração mínima de três anos com carga horária de 2.203 horas/aulas. Atuam no curso 15 docentes, sendo: um graduado, seis especialistas, seis mestres e dois doutores. Para saber mais sobre a graduação acesse: https://bit.ly/2YxlmaB.

O IFRO abriu Processo Seletivo Simplificado 2019/2 com oferta de 320 vagas, ao todo, das quais 40 são destinadas ao Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Campus Ji-Paraná. As inscrições vão até o dia 2 de junho de 2019. Acesse o Edital AQUI.