Conectado por


Geral

Campanha Maio Amarelo terá apelo por um trânsito mais humano e seguro

Publicado por

em

A partir desta semana, as atenções estarão voltadas para as ações no trânsito em todo o estado de Rondônia com a sexta edição do Maio Amarelo. O tema deste ano é “No trânsito, o sentido é a vida”. A ideia é envolver diretamente a sociedade nas ações, promovendo uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade.

A campanha será lançada oficialmente pelo governo do Estado nesta segunda-feira (29) com o objetivo de conscientizar todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais humano e seguro.

O diretor geral do Detran, Neil Aldrin Faria Gonzaga, disse que a ideia é envolver diretamente a sociedade nas ações, promovendo uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade.

Especialista em educação de trânsito, a diretora-geral adjunta do Detran Rondônia, Benedita Oliveira, defende projetos e ações que integrem e eduquem o conjunto da sociedade que faz o trânsito – pedestres e usuários do sistema – de modo a promover a redução do número de acidentes. Para ela, neste ponto, a educação é fundamental, pois tem o condão de transformar a situação.

Municipalização do trânsito

O evento também será palco para discussão do projeto de municipalização do trânsito. Em palestra específica aos prefeitos, José Aurelio Ramalho, presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), vai defender o processo de municipalização do trânsito, que dará ao ente disposto a aderir, a autonomia necessária para gerir sua política local de trânsito, com recursos e meios repassados pelo conjunto do Sistema Nacional de Trânsito (SNT), que tem por objetivo o estabelecimento das diretrizes da Política Nacional de Trânsito, com vistas à segurança, à fluidez, ao conforto, à defesa ambiental e à educação para o trânsito, projeto que, na verdade, deve interessar a todos os prefeitos.

Neste processo, devidamente assessorado pelos órgãos afins e dotado de recursos financeiros específicos, os municípios terão como contrapartida a obrigação de planejar e operar o trânsito de veículos, pedestres e animais; implantar e manter a sinalização viária; coletar dados estatísticos e elaborar estudos sobre os acidentes de trânsito; executar a fiscalização de trânsito, autuar e aplicar a penalidade de multa por infrações de circulação, estacionamento e parada; fiscalizar a realização de obras ou eventos que possam perturbar ou interromper a livre circulação de veículos e pedestres, ou colocar em risco sua segurança; implantar, manter e operar sistema de estacionamento rotativo; promover programas de educação e segurança de trânsito de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), entre outras obrigações de ordem ambiental e o registro e licenciamento de outros tipos de veículos, entre eles os de tração e propulsão humana e de tração animal.