Conectado por


Destaque

No Ministério da Agricultura, Jaqueline Cassol debate programas de incentivo ao homem do campo

Publicado por

em

Um pacote de medidas deve ser lançado na próxima semana, entre os benefícios está a facilitação de acesso ao crédito rural

A deputada Federal Jaqueline Cassol (PP-RO) se reuniu nesta sexta-feira, (5), com a equipe responsável pelos projetos relacionados à agricultura familiar no Ministério da Agricultura. Oportunidade em que foi informada sobre o lançamento de um conjunto de ações de fomento para a agricultura familiar.

O Subsecretário da Agricultura Familiar, Everton Giovanni, informou que o Ministério trabalha em um pacote de novos programas para organizar e potencializar a cadeia produtiva dos pequenos e médios produtores, além da agricultura familiar. E que em breve será publicado um decreto que vai desburocratizar o acesso ao crédito rural. Segundo a proposta, o processo de contratação do crédito deve ser reduzido de 18 para seis etapas. A média de tempo deve passar de dois anos para quatro meses, “ou se tudo estiver correto esse prazo pode ser de até dois meses”, declarou.

A informação vai de encontro a um projeto que está sendo elaborado pela deputada, que agora vai aguardar a publicação do decreto para estudar o texto. A parlamentar defendeu também o incentivo ao empreendedorismo entre os jovens do campo. “Muitos jovens estão deixando a área rural, migrando para as cidades. Em Rondônia vivemos um êxodo rural dos jovens, justamente pela falta de oportunidade”, enfatizou Jaqueline Cassol. Giovanni informou que o Governo está desenvolvendo programas para atender esse público. Um deles deve se chamar Residência Agrícola, cujo objetivo é que os jovens formados em qualquer área das ciências agrárias sejam inseridos em grandes estabelecimentos de produção, para que tenham experiência operacional e prática.

Durante o encontro também foram abordados temas relativos à aquicultura e pesca. Atualmente, Rondônia é um dos maiores produtores de peixe do país, mas enfrenta dificuldades para a distribuição do produto. “Eu bato muito nessa tecla de que tem que incentivar produção, mas também a comercialização. Por não ter unidade de beneficiamento, o piscicultor deixa de agregar valor ao produto”, disse a deputada. O subsecretário de Aquicultura e Pesca, João Crescêncio, informou que o Ministério está elaborando um plano de ação para atender a demanda de comercialização de Rondônia. Informou também que busca parcerias para instalar unidades de beneficiamento de pescado em Rondônia.