Pronunciamento do Presidente do CFO Sobre possíveis desvios de recursos no CRO em Rondônia.

Publicado por Marcos Santana em Quinta-feira, 6 de dezembro de 2018
O Conselho Federal de Odontologia (CFO) decretou intervenção no Conselho Regional de Odontologia de Rondônia (CRO-RO), após constatar fortes indícios de desvios de dinheiro por parte do presidente Hailton Cavalcante dos Santos, que renunciou ao cargo em novembro. Há o envolvimento ainda de uma ex-funcionária, Sebastiana Dias. Os valores desviados superam os R$ 600 mil.

A intervenção foi anunciada pelo presidente do CFO, Juliano do Vale, atendendo pedidos do presidente interino e os fatos já estão sendo investigados pela Polícia Federal.

O presidente do CFO explicou em comunicado feito pelas redes sociais, que após as denúncias sobre malversação de recursos, uma auditoria preliminar foi realizada e reconheceu os desvios. “O que pra nossa surpresa ficaram constatadas irregularidades insanáveis na gestão desse recursos e grande possibilidade de desvio de quantias vultosas desse dinheiro”, disse.

Segundo apurou o RONDONIAGORA, um dos desvios foi realizado após pedido de liberação de recursos ao Programas de Apoios Institucional (PAIs) do CFO, em caráter extraordinário e urgentíssimo. Nomes de conselheiros teriam sido usados e o dinheiro desviado.

Conselho Federal decreta intervenção no Conselho Regional de Odontologia de Rondônia por desvios de recursos

Em uma investigação prévia, a procuradoria jurídica do CRO-RO solicitou extratos bancários e empenhos, mas em 7 de novembro, a gerente Sebastiana Dias forneceu extratos bancários com informações falsas e adulteradas.

Diante do escândalo, a esposa do ex-presidente do Conselho Regional de Rondônia, Hailton Cavalcante apresentou atestado médico relatando que ele estava internado em ala psiquiátrica do Hospital de Base. Dois dias depois, formalizou a renúncia. Sebastiana Dias pediu demissão do cargo cerca de 24 horas depois.

O cirurgião dentista José Marcelo assumiu interinamente e apresentou à Superintendência da Polícia Federal documentação comprobatória dos desvios e fraudes, pedindo instauração de inquérito policial.

Intervenção

Ainda segundo o presidente Juliano do Vale, após receber o relatório da auditoria, o Conselho Federal imediatamente se reuniu no dia 5 de dezembro de posse da documentação para decidir sobre os destinos da entidade no Estado. “Durante a reunião nós decidimos pela intervenção imediata no Conselho Regional de Odontologia de Rondônia e designamos uma diretoria provisória para que proceda a apuração de todos os fatos e realize uma nova eleição no prazo de 180 dias. É inadmissível nos tempos dúvidas sobre a conduta dos gestores e sobre a conduta de profissionais da odontologia que assumem a direção dos conselhos de odontologia de todo o Brasil”, repudiou.

O presidente deixou claro que não permitirá que essas ações maculem a imagem do Conselho Federal e dos Regionais. “Os responsáveis serão alcançados pela lei e encaminharemos a apuração de todos os fatos a Polícia Federal, Ministério Público e Tribunal de Contas da União para que tomem as providências. O Conselho Federal está muito tranquilo para dizer que estamos fazendo nosso trabalho e vamos punir quem quer que seja após serem apuradas as irregularidades’, finalizou Juliano do Vale.