Confúcio denuncia traição de Raupp e chama senador de “bandido e descarado”; ouça áudios

Confúcio denuncia traição de Raupp e chama senador de “bandido e descarado”; ouça áudios

O ex-governador Confúcio Moura denunciou uma suposta orquestração para tirar a vaga de candidato ao Senado liderada pelo senador Valdir Raupp e o presidente do MDB, Tomás Correia. A revelação foi feita a correligionários em conversa transmitida por um aplicativo de mensagens de celular vazadas a imprensa. Na conversa, Confúcio chama Raupp de “bandido e descarado” porque o parlamentar e o dirigente do MDB decidiram levar para a convenção e no voto a decisão do ex-governador ser senador ou não. “Nós temos que disputar no fim de mês no voto com os convencionais. Está sendo feita uma campanha dura entre amigos para depois ser aprovado para disputar com adversários, nunca passei isso na minha vida. Renuncie ao mandato e pretendia mudar de partido porque já desconfiava dele, mas ele foi na minha casa junto com Tomas Correia dizendo que tinha vaga garantida”, reclamou. “Pra mim tem sido uma decepção, já protocolei no diretório nacional do MDB esse golpe baixo do senador Raupp e a mulher dele (Marinha Raupp, deputada federal)”, avisou Confúcio.

Lava Jato

Com medo dos desdobramentos da Operação Lava Jato, onde está na condição de réu, o senador Raupp iniciou uma frente de articulação para garantir a reeleição e o foro privilegiado, segurando no Supremo Tribunal Federal (STF) seus julgamentos. Bem nas pesquisas de opinião, Confúcio representa um grande perigo para o senador Raupp, o que desencadeou a traição ao ex-governador.

O pré-candidato ao Governo do MDB, deputado Maurão de Carvalho, não se manifestou sobre a intriga, mas já demonstra clara insatisfação com Confúcio porque o ex-governador tem estimulado a pré-candidatura do ex-secretário de Finanças, Wagner Garcia. O nome do técnico era o preferido de Confúcio para uma dobradinha em um outro partido, o que foi abortado após Raupp garantir a vaga ao Senado para o ex-governador.

Rondoniagora procurou o senador Raupp para ouvi-lo, mas ele não retornou as ligações da redação.

M