A greve na CAERD é justa, necessária e enfrenta truculência, enquanto o governador Confúcio apenas assiste...
10/08/2016|  Autor : Itamar Ferreira|   Fonte : Itamar Ferreira

A greve na CAERD é justa, necessária e enfrenta truculência, enquanto o governador Confúcio apenas assiste...
RETICÊNCIAS POLITICAS...  -  Por Itamar Ferreira*


... os funcionários da CAERD estão em greve e enfrentam uma truculência sem precedentes na história do movimento sindical em Rondônia; pois não bastasse dirigentes da empresa atuarem na intimidação dos grevistas, estão usando o aparato de imprensa para tentar colocar a opinião público contra o movimento e outras práticas condenáveis...
Recebi na manhã desta quarta-feira (10) pelas redes sociais uma mensagem do Comando de Greve da CAERD que me deixou estarrecido: "Bom dia companheiros e companheiras, a Diretoria está no desespero. Está madrugada os nossos vigias da GREVE que cuidava do material da GREVE, foram rendidos de madrugada, por cinco homens armados, que retiraram todas as faixas, painéis da GREVE".
Isso é banditismo, não há outra palavra para descrever esse comportamento, que só pode sair da cabeça de gente com grave psicopatia. Pois em vez de dialogar, apostam em medidas de força para acabar com o movimento grevista. Enquanto isso, o governador e sua equipe, ao que parece, dá carta branca à direção da CAERD e apenas assiste os desmandos acontecendo.
A presidente da empresa, por exemplo, tem péssimo habito de intimidar rotineiramente os subordinados (o Sindicato dos Bancários tem um dossiê sobre a atuação dela durante muitos anos na Caixa Econômica) e agora aterroriza os empregados da CAERD.
Entre as falácias que se alega para não negociar com os trabalhadores está a afirmação de que a CAERD estaria inviabilizada porque a folha representaria 80% da arrecadação; entretanto, durante a gestão anterior (compartilhada) a Companhia tinha apenas 536 empregados; mas a atual direção aumentou para 776, boa parte comissionados; um aumento estratosférico de 45% ou 240 funcionários .
Ainda sobre o custo da folha, a diretoria da CAERD nada fala sobre os ganhos resultantes da transposição, que já transferiu 76 empregados para os quadros da União (que continuam à disposição da companhia), representando uma economia de aproximadamente R$ 6 milhões por ano; isso foi fruto do trabalho diligente do Sindicato dos Urbanitários (SINDUR), que não teve o apoio da empresa.
Este quadro desnuda as falácias da atual diretoria da CAERD, que "fabrica" a crise, ao aumentar as contratações em 45% e criar recentemente mais 93 cargos comissionados. Que crise é essa?? Esta situação mostra a legitimidade dos funcionários em reivindicar aumentos salariais e melhorias. Além disso, houve um aumento significativo da arrecadação nos últimos anos. Está na hora de sua Excelência o Governador e suas não menos Excelências os deputados estaduais cobrarem o fim desses desmandos na CAERD.
* Itamar Ferreira é bancário, sindicalista, diretor do SEEB, presidente da CUT-RO, formado em administração de empresas e pós-graduado em metodologia do ensino pela UNIR, acadêmico de direito 8º período da FARO.


COMENTE COM O FACEBOOK


Portalrondonia Comunicações Ltda. E-mail: redacao@portalrondonia.com