PROCURA-SE: onde estarão os 170 ônibus que o atual prefeito garantiu existir em debate na Rede TV?
08/09/2016|  Autor : CUT-RO|   Fonte : CUT-RO

COLUNA RETICÊNCIAS POLÍTICAS...  -  Por Itamar Ferreira
O atual prefeito Mauro Nazif, candidato à reeleição, garantiu em debate realizado na Rede TV nesta quarta-feira (7) que o sistema de transporte coletivo atualmente operado pelo Consórcio SIM teria 170 ônibus rodando regularmente. Entretanto, um conhecido ativista político, que vigia como poucos esses ônibus, postou na rede social Facebook logo em seguida a seguinte frase: "170 ônibus rodando??? Tá de brincadeira com a cara dos portovelhense", dentre outras palavras que seriam impublicáveis neste momento eleitoral.

Esse mesmo ativista, que já teve a paciência de ficar horas e horas filmando a saída dos ônibus da única garagem do Consórcio SIM - embora eles jurem que existam duas empresas - garante que pouco tempo atrás, quando a última contagem (filmagem) feita por ele existiriam tão somente 118 ônibus; entretanto, atualmente haveria apenas 92 veículos operando.

Por outro lado, líderes do movimento independente que lutam pela recontratação dos aproximadamente 300 trabalhadores - sem o apoio do Sindicato da categoria, cuja diretoria é ligada ao PSB partido do prefeito - que ficaram desempregados por conta dessa atabalhoada licitação emergencial e precária, garantem que a "outra" empresa, que é do Amapá, teria rompido o acordo de ceder ônibus ao Consórcio SIM e estaria levando os seus ônibus embora.

Segundo essa fonte, a frota desse contrato emergencial teria chegado a um teto máximo de 132 ônibus efetivamente em operação; entretanto, recentemente teria sido reduzido para 112 e atualmente estaria em número menor ainda. As duas fontes independentes confirmam a mesma informação: atualmente a frota não passaria de 100 ônibus. Onde estariam os outros 70 alardeados pelo prefeito?

Depois de quatro anos de gestão o atual prefeito entrega o sistema de transporte totalmente desestruturado, sem nenhuma segurança juridica, com aproximadamente 300 pais e mães de famílias desempregados, e sem se saber como será o futuro sistema de transporte definitivo da Capital: quantas empresas vão operar? Se a empresa atual perder o contrato, mais quantos trabalhadores ficarão desempregados? Quantos ônibus de fato irão operar? Qual será a idade média dessa próxima frota?...

Sobre a situação do contrato emergencial precário com o Consórcio SIM, um parecer do conselheiro Wilber Coimbra deu um verdadeiro "puxão de orelha" no prefeito Mauro Nazif em dezembro de 2015, ao questionar duramente a escolha da modalidade emergencial para contratar as novas empresas para o transporte coletivo da Capital: “a circunstância emergencial ou calamitosa, não pode decorrer da falta de planejamento da Administração ou da incúria, inércia ou desídia”. O Conselheiro estabeleceu à época o prazo de 180 dias para que fosse realizada a licitação definitiva, o que ainda não foi cumprido.

UM DESAFIO: será que o atual prefeito aceitaria convidar os demais candidatos a prefeito para irem bem cedinho, num dia de semana, até à saída da garagem do Consórcio SIM, no horário em que todos os ônibus tem que sair para atender a população, para ver se existe procedência na afirmação dele de que Porto Velho teria atualmente 170 ônibus atendendo à população? 


COMENTE COM O FACEBOOK


Portalrondonia Comunicações Ltda. E-mail: redacao@portalrondonia.com