Audiência pública em Manaus defende a restauração da BR 319
27/10/2015|  Autor : Assessoria|   Fonte : Assessoria



Retomada das obras de recuperação da rodovia debatida na Assembleia de Manaus

Após percorrerem os mais de 800 km da BR 319, entre Porto Velho e Manaus (AM), as autoridades e demais integrantes da caravana em defesa da restauração da rodovia participaram na manhã desta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa do Amazonas, de uma audiência pública, promovida pelo Senado Federal.

Tendo a frente o senador Acir Gurgacz (PDT), que integra a Comissão de Infraestrutura do Senado, a audiência juntou autoridades de Rondônia e do Amazonas. Ele disse que o maior interesse que deve ser levado em conta é o dos moradores ao longo da rodovia.

“Temos que destacar a importância econômica, mas o maior motivo de se restaurar a rodovia é retirar as pessoas do isolamento, como no Distrito de Realidade, Humaitá, que foram, muitas delas, levadas pelo Incra e deixadas à própria sorte”, disse.

O senador declarou que é possível se juntar a preservação com o desenvolvimento, sem prejuízos a nenhum dos lados. “Mas nosso maior objetivo é cuidar do ser humano. Essa é a nossa batalha e não vamos abrir mão dela”, garantiu.

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PP), destacou a mobilização dos deputados estaduais e também dos demais, pela restauração da 319.

“É uma rodovia que interliga Rondônia e Amazonas, sendo um elo de negócios entre os dois Estados. Manaus é um grande mercado consumidor e nós temos uma grande produção agropecuária. Por outro lado, a capital amazonense é um pólo comercial e de turismo, que pode receber ainda mais turistas”, destacou.

O vice-governador Daniel Pereira (PSB) registrou a presença da classe empresarial de Rondônia. “Simbolicamente, estamos presentes aqui. O projeto de reabertura da rodovia é maior do que qualquer outro projeto político ou pessoal”, destacou.

Segundo ele, a ação política já foi feita, mas é preciso seguir em frente e não ficar apenas até aqui. “Mas, não podemos ser tratados como cidadãos de segunda categoria. Nas demais regiões do país, as pessoas têm o direito de ir e vir em qualquer época do ano”, observou.

O deputado estadual amazonense Francisco Souza (PSC) iniciou destacando o papel decisivo da Assembleia Legislativa de Rondônia, que se mobilizou em massa para se integrar à caravana e defender a restauração da BR 319.

“Desde o começo, quando pedi a realização de uma audiência pública na Assembleia de Rondônia, que recebemos todo o apoio do presidente daquela Casa, Maurão de Carvalho. É com essa força que vamos conseguir transformar em realidade a rodovia, pois nós merecemos”, acrescentou.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) defendeu que a BR 319 seja asfaltada, para retirar as pessoas do isolamento e promover a integração entre Rondônia e Amazonas.

“Não podemos continuar com esse impasse em torno do asfaltamento da rodovia, que está aberta e transitamos por ela em comitiva, num ato para chamar a atenção da necessidade de se fazer a obra”, disse.

O deputado estadual amazonense David Almeida (PSD), líder do governo na Assembleia, convocou seu colegas para fazer o trajeto de Manaus a Porto Velho, via 319. “Temos que fazer uma mobilização semelhante a que Rondônia está fazendo, em defesa do asfaltamento e da restauração completa da rodovia”, disse.

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero), Adélio Barofaldi, também destacou a força do mercado consumidor de Manaus, que já consome muitos produtos rondonienses.

“É bom para Rondônia, que terá mais agilidade para escoar sua produção, e para Manaus, que terá uma redução nos custos dos produtos, com uma logística mais eficiente”, observou.


Deputados a favor da rodovia

Os deputados estaduais rondoniense também fizeram uso da palavra. Adelino Follador (DEM) foi o primeiro e disse que a manutenção da rodovia “é tão importante para o Brasil, que não pode ser adiada”.

Airton Gurgacz (PDT) registrou que na viagem da caravana ficou claro que não será necessário um trabalho difícil, pois a rodovia está aberta. “Em muitos trechos, a obra não será muito complicada, pois tem muita coisa feita e que pode ser aproveitada”, adiantou.

Já Luizinho Goebel (PV) destacou ser importante que a imprensa, que acompanhou a caravana e faz a cobertura da audiência, continue engajada nessa luta. “Contamos com a continuidade desse apoio da mídia, em defesa da restauração da rodovia”, pediu.

Goebel relatou que a sua cidade, Vilhena, no Cone Sul, produz e envia hortifrutigranjeiros para Manaus e que a BR 319 facilitará o escoamento da produção.

Ele apresentou ainda uma fotografia que fez com uma criança no distrito de Realidade, portando um cartaz pedindo a melhoria na estrada. “Essa menina, a Marcela, disse que precisa estudar e que nas chuvas não pode. Por essa aluna, pelos demais moradores, vamos restaurar essa rodovia”, declarou.

Aélcio da TV (PP) ressaltou que fez uma rápida visita a alguns mercados de Manaus e pode observar o preço alto e qualidade dos hortigranjeiros. “Esse alto custo se deve ao fator transporte, que por balsa acaba prejudicando a qualidade de muitos alimentos, que vêm de Rondônia boa parte”, afirmou.

Ribamar Araújo (PT) relatou a sua alegria em ter participado da caravana, mas expressou tristeza em ter feito, em 1979, uma viagem de carro de Porto Velho a Manaus.

“Minha tristeza é maior em viver num país, onde os interesses pessoais ou de uma minoria se sobrepõem aos da coletividade. O fator ambiental não pode estar acima de tudo e retirar o sonho do povo melhorar de vida, à custa do seu trabalho e de seu suor”, disse.

Hermínio Coelho (PSD) cobrou a retomada das obras e disse que essa situação atual da BR é uma vergonha para o Brasil e a União é quem tem que dar a resposta. “Chega de embromação e de desculpas esfarrapadas. Se autorizaram duas usinas no rio Madeira, porque impedir uma reconstrução de uma estrada que já existe?”, questionou.

Já Lazinho da Fetagro (PT) fez um desabafo: “o que o governo quer para a Amazônia? Para fazer usinas pode, mas para dar dignidade a um povo que está abandonado pelo governo, não pode. E volto a repetir: se houver vontade política, faz. Se não tiver, não faz”.

Jesuíno Boabaid (PTdoB) lamentou a ausência do governador e do vice-governador do Amazonas, além de parlamentares. “Temos uma mobilização maciça de autoridades e de empresários de Rondônia, mas sinto falta de autoridades amazonenses. Isso nos leva a crer que o lobby de poderosos que não querem a rodovia reaberta é muito forte”, criticou.

Alex Redano (SD) declarou que essa mobilização é um passo importante para que haja vontade política para a solução do impasse.


COMENTE COM O FACEBOOK


Portalrondonia Comunicações Ltda. E-mail: redacao@portalrondonia.com