Saúde
MG é onde enfermeiros mais reclamam de desgaste
12/08/2015|  Autor : O TEMPO|   Fonte : O TEMPO

Minas Gerais possui 164.042 profissionais que atuam como técnicos e auxiliares de enfermagem (121.544) e enfermeiros (42.498). Desse total, 74,8% declararam estar desgastados física e psicologicamente com o exercício da profissão. O número supera a média nacional (64,2%).

Os dados foram revelados pela pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil, realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por iniciativa do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), e apresentada nesta terça na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O estudo inédito é o mais amplo levantamento sobre a categoria já realizado na América Latina e abrangeu um universo de 1,8 milhão de profissionais dos 27 Estados do país.

“Esse é um índice de desgaste altíssimo. Para se ter uma ideia, 65% de todos os trabalhadores de enfermagem de Minas afirmaram ter adoecido nos últimos doze meses”, disse a coordenadora da pesquisa, Maria Helena Machado. Segundo ela, o ritmo de vida acelerado, a longa jornada de trabalho, a baixa remuneração, o alto nível de exigência, e o sentimento de pouca esperança no futuro são apontados como os causadores do desgaste físico e psicológico dos profissionais da saúde.

As faltas de respeito e cordialidade por parte dos usuários e de familiares dos pacientes com os enfermeiros também contribuem com o quadro “alarmante”.

“Se eu tenho um índice de desgaste alto aqui, eu tenho que acender um pisca alerta no país, uma vez que os mineiros representam o terceiro maior contingente da enfermagem do Brasil. Minas é um Estado definidor das políticas públicas para os profissionais da saúde”, finalizou.

Perfil. A pesquisa mostrou ainda que a equipe de enfermagem mineira é predominantemente composta por mulheres – 86% contra 14% de homens.

A capital concentra 53,7% do total de profissionais que atuam no Estado.


COMENTE COM O FACEBOOK


Portalrondonia Comunicações Ltda. E-mail: redacao@portalrondonia.com