A revoada das andorinhas
17/04/2015|  Autor : Samuel Castiel Jr.|   Fonte : Samuel Castiel Jr.

Como nuvens negras  em deslocamento, formando grandes desenhos geométricos no céu, elas sempre chegam, ano após ano, anunciando o verão. Atiram-se como flechas buscando um pouso seguro e um abrigo para a noite que chega.  Árvores e  fios elétricos são seus principais alvos. Quando a tarde  vai caindo, fios elétricos e árvores ficam cheios desses pássaros negros, que fazem um barulho estridente com seus milhares de piados. As fezes das andorinhas são ácidas e sujam qualquer carro ou qualquer coisa que fique embaixo delas.

Essas aves são da família Hirundinidae, com várias espécies e se destacam de outros pássaros pelas adaptações desenvolvidas para alimentação aérea, pois caçam insetos no ar e para isso desenvolveram corpo fusiforme e asas relativamente longas e pontiagudas. Medem cerca de 13 cm de comprimento,podendo viver até oito anos ou mais.

As fêmeas fazem uma postura de 4 ou 5 ovos que são incubados por 25 dias nascendo os jovens pássaros que são alimentados por ambos progenitores. Embora embelezem o pôr do sol, servindo para aguçar a inspiração de poetas e encher  páginas da literatura, muitas  vezes são mortas ou rechaçadas pela sujeira e incômodo que causam. Essas andorinhas são pássaros migratórios e voam milhares de quilômetros, atravessam  oceanos, as cordilheiras dos Andes, vão até os Estados Unidos e voltam a cada ano, preanunciando a chegada do verão. Comem milhões de insetos, contribuindo para o equilíbrio do eco-sistema. Representam também mais um milagre e uma incógnita da natureza e do Criador. O que sabemos na realidade, e  ensinado por nossos avós, é que enquanto houver mais de uma andorinha, haverá verão!...

           


Portalrondonia Comunicações Ltda. E-mail: redacao@portalrondonia.com