54% dos rondonienses consideram a Reforma da Previdência negativa, revela estudo

O apoio à Reforma é maior na região Norte do país com 45% e menor na região Nordeste com 36%
A discussão em torno da Reforma da Previdência continua a todo vapor em 2018. Acontecerá ou não? O Palácio do Planalto pretende abrir as torneiras das emendas parlamentares para a aprovação da Reforma da Previdência antes do final de fevereiro.

Aqueles que aprovam ou reprovam a reforma já podem sentir o peso dela? Em caso de aprovação, uma das principais mudanças é o tempo de contribuição para garantir a aposentadoria e isso também pode refletir no planejamento familiar. Diante de um cenário econômico em transição, o trabalho será priorizado em detrimento da constituição de famílias com filhos?

Pesquisa nacional sobre possíveis impactos da reforma previdenciária no planejamento familiar

Estudo Reforma da Previdência e seu Impacto no Planejamento Familiar, conduzido pelo site Trocando Fraldas contou com a participação de 16 mil usuários, sendo o público feminino a maioria, representando 15 mil. O questionário foi disponibilizado entre os dias 5 e 16 de janeiro deste ano e obtiveram-se respostas espontâneas, indicando a faixa etária, sexo e local de moradia dos participantes.

O que os resultados revelam?

 

  • 58% dos brasileiros consideram a reforma da previdência desnecessária;
  • O maior índice de reprovação foi obtido entre 25 e 34 anos de idade, principalmente entre os que declararam não querer mais filhos;
  • O índice de reprovação não diverge entre sexos ou entre pessoas com ou sem filhos;
  • O apoio à Reforma é maior na região Norte com 45% e menor na região Nordeste com 36%;
  • Em Rondônia, Santa Catarina e Amapá quase metade da população apoia a Reforma, enquanto menos de um terço nas regiões Rio Grande do Norte, Distrito Federal e Paraíba.

 

Desejo de Alteração no Planejamento Familiar devido à Reforma

 

  • 57% dos brasileiros vão alterar seus planos de ter filhos por conta da Reforma;
  • Na região Sul o impacto será menor com 50%;
  • Entre aqueles que consideram a reforma em seu planejamento familiar, mais da metade reduzirá a quantidade de filhos que pretendia ter;
  • Entre aqueles que queriam filhos e não desejam mais, a reforma na previdência é o principal motivo;
  • Acima dos 30 anos, menos da metade dos participantes vê importância quanto ao planejamento familiar, porque já o concluíram.

 

Índice de Impacto Negativo de acordo com a pesquisa (por idade e sexo)

 

População geral 60%
18 a 24 anos 57%
25 a 29 anos 62%
30 a 34 anos 67%
35 a 39 anos 66%
40 a 44 anos 65%
45 a 49 anos 53%
50 a 54 anos 54%
Acima de 54 anos 44%
Mulher 61%
Homem 52%
Com filho 63%
Sem filho 57%

Att

Assessoria de Comunicação – Trocando Fraldas

%d blogueiros gostam disto:

Add URL